AnaMaria

Cirurgia das amígdalas: quais as indicações, como e quando fazer?

Para quem é mais indicada a cirurgia de amígdalas?

*Dra. Maura Neves, colunista de AnaMaria Publicado em 23/11/2021, às 08h00

As amígdalas costumam diminuir quando envelhecemos - Pixabay
As amígdalas costumam diminuir quando envelhecemos - Pixabay

Na coluna desta semana, vou tratar de um tema que sempre gera muitas dúvidas: a cirurgia das amígdalas. Pra começo de conversa, é preciso entender que as amígdalas, também chamadas de tonsilas palatinas, são estruturas de defesa do nosso corpo.

Essa estrutura, juntamente com as tonsilas faríngeas (adenoide) e a amigdala lingual, compõem o Anel Linfático de Waldeyer, ou anel de Waldeyer. Elas são a primeira linha de defesa imunológica do sistema aero-digestivo, pois protegem a entrada dos tubos digestivo e respiratório dos agentes do meio externo.

Para isso, estão distribuídas em posições estratégicas. A adenoide está no fundo do nariz, enquanto as amigdalas ficam no fundo da boca e as amigdalas linguais na base da língua. Por conta de sua função, elas acabam sendo mais desenvolvidas nas crianças, regredindo de tamanho espontaneamente na idade adulta.

QUANDO A CIRURGIA DE AMÍGDALAS É INDICADA?
A retirada das amÍgdalas costuma ter duas indicações clássicas. A primeira é no caso de infecções de repetição, que devem ser bacterianas e necessitarem de uso de antibiótico para o tratamento. A segunda indicação é quando as amígdalas são muito aumentadas e causam obstrução. Normalmente, quando as amigdalas são grandes as adenoides também são, o que leva aos sintomas de respiração bucal e roncos noturnos.

Uma outra indicação é presença de mau hálito ou halitose. Neste caso, as amígdalas acumulam restos alimentares, chamados de caseos. São “massinhas brancas” que se formam nas amígdalas sem presença de infecção, mas sim por acúmulo de resíduos alimentares. O tratamento mais efetivo, nestes casos, é a remoção das amígdalas.

TIRAR A AMÍGDALA PREJUDICA AS DEFESAS DO CORPO?
Esta é uma pergunta muito frequente. E a dúvida faz todo sentido, não é mesmo? A resposta, porém, é não!  Remover as amígdalas não prejudica a defesa do corpo e não favorece infecções em outros locais da garganta.  Isso acontece porque outras estruturas de defesa assumem essa função.

COMO É A CIRURGIA PARA REMOVER AS AMÍGDALAS?
Existe várias técnicas possíveis. Tradicionalmente operamos pela boca, em uma cirurgia que dura entre 30 a 90 minutos e o paciente tem alta no mesmo dia. Muitos perguntam sobre técnica de laser para esta cirurgia. Atualmente os estudos não demonstram que um método seja superior a outro. O importante é o seu médico ter pratica na técnica escolhida.

E DEPOIS DA CIRURGIA DE REMOÇÃO DAS AMÍGDALAS? COMO É?
O principal cuidado é com os alimentos, que devem ser líquidos e frios no início. A alimentação só volta ao normal após uma semana, pelo menos. Assim, aquela história de comer sorvete após a cirurgia é verdadeira. Há ainda a necessidade de repouso, afastamento de exercícios físicos e também evitar ficar em locais quentes. Todos esses cuidados são para não existirem intercorrências no pós-cirúrgico. Para o controle de dor, usamos analgésicos a anti-inflamatórios na medida da necessidade de cada um.

*DRA. MAURA NEVES é formada na Medicina pela Faculdade de Medicina da USP. Residência em Otorrinolaringologia pelo HC- FMUSP. Fellow em Cirurgia Endoscópica pelo HC- FMUSP. Doutorado pela Faculdade de Medicina da USP. Médica Assistente do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo -SP. Aqui na Revista AnaMaria, trará quinzenalmente um conteúdo novo sobre a saúde do ouvido, nariz e garganta. Instagram: @dra.mauraneves