AnaMaria

Laringite: o que é e como tratar essa inflamação comum do frio

A doença apresenta tipicamente uma alteração da voz, que chamamos de rouquidão

*Dra. Maura Neves, colunista de AnaMaria Publicado em 20/07/2021, às 08h20

A laringite é uma inflamação da garganta com acometimento da voz - Pixabay
A laringite é uma inflamação da garganta com acometimento da voz - Pixabay

Chegamos ao auge do inverno, quando as temperaturas costumam cair bastante, e uma das coisas que mais escuto por aí é o famoso cof-cof. Nesta semana, queria te contar que uma das causas são as laringites, uma inflamação da garganta com acometimento da voz, justamente porque é lá que estão localizadas as cordas vocais.

Na maioria das vezes, as laringites são causadas por infecções virais do tipo gripe ou resfriado. Esses vírus podem atingir só o nariz, só a garganta (faringite) ou só a laringe (laringite). Também podem atingir toda a região (nariz, garganta e laringe).  

Existe ainda a laringotraqueite viral, quando o vírus atinge a laringe, traqueia e brônquios. Os sintomas podem começar simultaneamente ou progredir em alguns dias. No geral duram em média oito dias e são autolimitadas.  

E QUAIS SÃO OS SINTOMAS, AFINAL?
A laringite apresenta tipicamente uma alteração da voz, que chamamos de rouquidão. Ela pode ser discreta ou intensa (voz some totalmente). Podem ocorrer junto dor de garganta, tosse e febre. E acometem todas as faixas etárias. 

Nas laringotraqueites, porém, os sintomas são mais intensos. Ocorrem mais frequentemente em crianças entre 3 a 5 anos de idade. Inicia-se com um resfriado com sintomas no nariz e na garganta, febre baixa e, após 2 a 6 dias, evolui com tosse rouca intensa e persistente, estridor inspiratório, cansaço e falta de ar.  

Assim, os sintomas às vezes podem ser graves, especialmente em crianças por conta de falta de ar. 

SERÁ QUE ESTOU COM ISSO?
Os sintomas clínicos descritos acima são o principal indicativo. O otorrinolaringologista pode ainda realizar exames de laringoscopia para avaliar diretamente a laringe e cordas vocais, determinando a causa da laringite. 

Os quadros infecciosos duram pouco tempo, em média de 7 a 10 dias. Se os sintomas ultrapassarem três semanas, chamamos de laringite crônica. Neste caso, mesmo que leve, deve ser feita uma avaliação médica.  

A laringite pode ser causada por bactéria e precisar de outros tratamentos. Em situações do tipo, o paciente relata a sensação de algo parado na garganta, rouquidão, dor de garganta, sensação de constrição e dor no pescoço, além de tosse, que é inicialmente seca e depois produtiva (saída de muco ou catarro). Aqui, em especial, existem alguns fatores predisponentes, como abuso vocal, tabagismo, etilismo, refluxo faringolaríngeo e poluição ambiental. 

E a alergia, pode ter tosse e laringite alérgicas? O que sabemos até o presente momento é que existe rinite alérgica e asma alérgica, com ambas podendo causar tosse entre seus sintomas. Uma laringite aguda causada exclusivamente por alergia é, na realidade, ainda um diagnóstico mal definido na literatura médica mundial. 

COMO TRATAR?
Na maioria das vezes, por serem quadros virais, o tratamento envolve medicações sintomáticas. Ou seja, medicações para redução de dor e tosse. Já nos casos de laringite bacteriana, serão necessários antibióticos.  

Tratamentos com inalação com soro fisiológico ajudam bastante, especialmente durante períodos de clima seco e frio. Já para a tosse, o mel é excelente para aliviar os sintomas! 

INFORMAÇÃO IMPORTANTE!
Em passado recente, as laringites agudas eram doenças de alta morbidade, por conta da agressividade e a falta de ar gerada, principalmente nas crianças. Atualmente, graças à vacinação contra Haemophilus influenzae tipo B, percebemos a acentuada redução em sua incidência entre as crianças. 

*DRA. MAURA NEVES é formada na Medicina pela Faculdade de Medicina da USP. Residência em Otorrinolaringologia pelo HC-FMUSP. Fellow em Cirurgia Endoscópica pelo HC-FMUSP. Doutorado pela Faculdade de Medicina da USP. Médica Assistente do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo -SP. Aqui na Revista AnaMaria, trará quinzenalmente um conteúdo novo sobre a saúde do ouvido, nariz e garganta. Instagram: @dra.mauraneves