AnaMaria

Nariz ardendo? Veja quais podem ser as causas deste sintoma

Uma das principais causas de ressecamento nasal é inalar ar seco

*Dra. Maura Neves, colunista de AnaMaria Publicado em 31/08/2021, às 08h00

Podem estar acontecendo várias coisas aí no seu nariz! - Brittany Colette/unosplash
Podem estar acontecendo várias coisas aí no seu nariz! - Brittany Colette/unosplash

Escolhi falar nesta semana de um sintoma muito frequente, mas pouco falado: ardência nasal. Ela está associada ao ressecamento da mucosa nasal, o que pode ter diversas causas. 

Para você entender melhor esse tema, optei por explicar cada uma delas individualmente. Anote aí!

AR SECO
Uma das principais causas de ressecamento nasal é inalar ar seco, uma condição bastante frequente nesta época do ano. Além da estiagem, que atinge todo o país e causa redução da umidade relativa do ar, existem ainda as variações de temperatura. 

Tanto o calor quanto o frio propiciam o ressecamento nasal, seja através de aquecedores ou por aparelhos de ar-condicionado. Assim, estamos em uma estação climática com ótima combinação de fatores para o nariz arder. Vale lembrar que o clima seco ainda aumenta as chances de sangramento no nariz.

REMÉDIOS QUE ATRAPALHAM O NARIZ
Existem vários medicamentos que causam o ressecamento nasal, tanto usados por via oral quanto tópicos nasais. Entre os medicamentos orais, são diversos tipos:

  • Anti-hipertensivos: para controle de pressão alta
  • Antiarrtimicos: para controle de arritmia cardíaca
  • Antidepressivos: para tratamento de depressão ou de dor crônica
  • Ansiolíticos: para ansiedade e insônia
  • Antialérgicos: basicamente todos os antialérgicos orais secam o nariz
  • Retinoides: entre eles a isotretinoina, usada para tratamento de acne.

Já quando falamos de remédios de pingar no nariz, temos dois tipos que podem causar problemas:

  1. Vasoconstritores nasais: são aqueles remédios "mágicos" para desentupir o nariz. Além de causarem ressecamento nasal, podem gerar um tipo de rinite chamada de medicamentosa. Em outras palavras, eles inflamam o nariz e geram efeito rebote, causando cada vez mais entupimento nasal.
  2. Corticoides tópicos nasais: são usados para tratamento de rinite alérgica e em algumas pessoas pode causar ardência.

ENVELHECIMENTO
Mudanças que ocorrem conforme ganhamos idade também podem gerar ardência nasal. A senilidade traz uma mudança de tipo de mucosa nasal, o revestimento interno do nariz, com redução da quantidade de glândulas mucosas, além de alterações hormonais e neurais no controle da produção de secreção. 

Estas mudanças também explicam o surgimento da rinite do idoso, um tipo de rinite não alérgica associada a senescência.

RONCO CAUSA ARDÊNCIA NASAL?
Uma das principais modalidade de tratamento do ronco e apneia do sono é através do uso de um aparelho chamado CPAP (sigla para Continuous Positive Airway Pressure). Este aparelho joga ar com pressão positiva no nariz para corrigir a obstrução causada na apneia do sono. 

Por este motivo pode ocorrer ressecamento nasal e ardência, uma das principais dificuldades dos pacientes durante a adaptação ao tratamento.

COVID-19 TAMBÉM CAUSA ARDÊNCIA NASAL?
Alguns pacientes infectados com o novo coronavírus apresentam sintoma de ardência nasal, que pode ocorrer antes da perda de olfato ou até no pós-covid.

MAS QUAL É O PROBLEMA DO NARIZ ARDER?
Além do desconforto, a ardência é indicativa de ressecamento nasal. E nariz seco facilita infecções respiratórias, como crises de rinite e sinusite.

O QUE FAZER?
O mais importante é identificar a causa e tratá-la. Na maioria das vezes, há mais de um motivo para o ressecamento nasal. Variações climáticas, uso de medicamentos e roncos podem acometer simultaneamente a mesma pessoa.  

Na maioria das vezes, usamos soluções salinas para irrigação e umidificação nasal, porém outras medidas podem ser necessárias. Reforço que você nunca deve interromper tratamentos medicamentosos iniciados sem antes contatar o seu médico. E, na dúvida, procure seu otorrino!

*DRA. MAURA NEVES é formada na Medicina pela Faculdade de Medicina da USP. Residência em Otorrinolaringologia pelo HC- FMUSP. Fellow em Cirurgia Endoscópica pelo HC- FMUSP. Doutorado pela Faculdade de Medicina da USP. Médica Assistente do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo -SP. Aqui na Revista AnaMaria, trará quinzenalmente um conteúdo novo sobre a saúde do ouvido, nariz e garganta. Instagram: @dra.mauraneves