AnaMaria
Busca
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaYoutube AnaMariaTiktok AnaMariaSpotify AnaMaria

Sangramento nasal: veja alguns mitos e verdades sobre o problema

Será que cutucar o nariz com o dedo causa sangramento? Especialista esclarece

*Dra. Maura Neves, colunista de AnaMaria Digital Publicado em 05/12/2023, às 10h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Veja alguns mitos e verdades sobre sangramento nasal. - Unsplash
Veja alguns mitos e verdades sobre sangramento nasal. - Unsplash

Olá, pessoal! O assunto desta semana é o sangramento nasal, ou epistaxe, como chamamos o problema na linguagem médica. Vamos conversar sobre alguns mitos e verdades do assunto para tirar as dúvidas?

1) Quando está calor a chance de sangramento é maior

MITO! Os sangramentos estão relacionados ao clima seco e a extremos de temperatura. Ou seja: quando estiver muito calor ou muito frio, em especial com ar seco. Mas não ocorrem exclusivamente nestas épocas e podem acontecer em qualquer estação do ano. As últimas estatísticas apontam para uma maior frequência de sangramento no inverno. 

Primeiro, vamos considerar a temperatura.  Os extremos fazem com que os vasos da mucosa nasal se dilatem. Nas temperaturas altas, essa dilatação ajuda a dissipar o calor e nas temperaturas baixas propiciam auxílio no aquecimento do ar.  Assim, um rompimento de algum deles fica mais fácil.  

No caso do clima seco, a baixa umidade do ar resseca a mucosa nasal. Esse ressecamento também causa uma dilatação dos vasos, responsáveis por umedecer a mucosa nasal. Além disso, a mucosa ressecada pôde facilmente “rachar” como os lábios, por exemplo. E é nestes pontos que ocorrem os sangramentos. 

2) Pressão alta causa sangramento no nariz

Verdade! A pressão alta tanto isolada (aquela que sobe quando ficamos nervosos) ou pessoas com hipertensão arterial em uso de medicação também tem maior chance de epistaxe. Muitas vezes, além das medicações para a pressão, há uso de medicamentos para tratamento do coração, como anticoagulantes ou até ácidos acetilsalicílico. Eles atrasam a coagulação do sangue e podem piorar muito uma epistaxe.  

3) Rinite, sinusite e gripe podem dar epistaxe

Verdade! A inflamação no nariz faz com que os vasos se dilatem e isso facilita sangramentos. Nestes casos, quando ocorrem os sangramentos, são pequenos. Muitas vezes vem com a secreção nasal e não representam risco.  

4) Cutucar o nariz com o dedo causa sangramento


Verdade. Chamado de "trauma digital", aquele dedinho no nariz para remover crostas é a principal causa de sangramentos nas crianças. Essa limpeza causa um machucado na região da frente do nariz onde há grande quantidade de vasos sanguíneos, o que causa o sangramento. 

5) Sangramento nasal nas crianças é mais grave do que em adultos

Mito. O sangramento nasal é mais grave nos adultos ou idosos. Isso porque, nestes casos, os sangramentos tendem a ser de vasos sanguíneos mais do fundo do nariz, que são mais calibrosos. Muitas vezes, os idosos usam medicações que facilitam o sangramento nasal (anticoagulantes, como ácido acetil salicílico e rivaroxabana) ou apresentam doenças como hipertensão, que aumentam a gravidade do sangramento. 

6) Se o nariz sangrar, o ideal é virar a cabeça para trás para tentar parar o sangramento

Mito. Virar a cabeça para trás não ajuda a parar o sangramento e ainda faz com que o sangue seja engolido, causando mal-estar depois. 

Mas se o nariz sangrar, o que devo fazer?  

Anote as dicas:  

  1. Primeira coisa: não se desepere! Procure algum local fresco e não fique no sol ou calor;
  2. Faça compressas frias na face ou coloque gelo; 
  3. Incline levemente a frente para que o sangue escorra pela frente do nariz;
  4. Aperte o nariz de 3 a 5 minutos e respire pela boca neste momento. Caso o sangue desça pela garganta, tente não engolir.  
  5. Se o sangramento não parar, procure um hospital. 

Não esqueça de procurar um médico otorrinolaringologista para avaliar as causas, além de fazer a prevenção correta do sangramento! 

*DRA. MAURA NEVES é formada na Medicina pela Faculdade de Medicina da USP. Residência em Otorrinolaringologia pelo HC- FMUSP. Fellow em Cirurgia Endoscópica pelo HC- FMUSP. Doutorado pela Faculdade de Medicina da USP. Médica Assistente do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo -SP. Aqui na Revista AnaMaria, trará quinzenalmente um conteúdo novo sobre a saúde do ouvido, nariz e garganta. Instagram: @dra.mauraneves

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!