AnaMaria

Mulheres na Computação: veja quem são as mais importantes para a tecnologia

Muitas dessas mulheres criaram processos que usamos até hoje

*Juliano Schimiguel, colunista de AnaMaria Digital Publicado em 08/12/2021, às 09h20

Mulheres têm papel marcante, apesar do pouco espaço. - Unsplash
Mulheres têm papel marcante, apesar do pouco espaço. - Unsplash

É fato que a área da computação é dominada essencialmente por profissionais do sexo masculino. Felizmente, porém, cada vez mais vemos as mulheres se inserindo nesse mercado, especialmente nas áreas de pesquisa, inovação, tecnologias da informação e comunicação (TICs). Vale ressaltar ainda que elas sempre estiveram presentes de forma marcante neste mercado.

Em 1843, por exemplo, a primeira pessoa a desenvolver um algoritmo na história foi Ada Lovelace. Em 1952, a linguagem de programação COBOL foi criada e idealizada por Grace Hopper. Essa linguagem tinha como foco realizar o processamento de sistemas de bancos de dados, sendo utilizada até hoje. Já em 1958, a professora Mary Kenneth Keller foi pioneira na área de computação e informática, sendo também a primeira mulher norte-americana a defender seu doutorado.

Já em 1978, Carol Shaw foi a primeira mulher a ingressar na área de jogos (games), tendo trabalhado na famosa empresa Atari. Além disso, ela propôs um sistema de produção de conteúdo, que é utilizado até os dias atuais, com aplicação em jogos. Não podemos deixar de destacar “As Garotas do Eniac” (The Computer Girls): Kathleen McNulty, Mauchly Antonelli, Jean Jennings Bartik, Frances Synder Holber, Marlyn Wescoff Meltzer, Frances Bilas SpenceRuth Lichterman Teitelbaum.

Durante a Segunda Guerra Mundial, alguns pesquisadores precisavam realizar o cálculo balístico militar e de trajetória de mísseis, de forma manual. Essas seis mulheres foram escolhidas para criar o projeto de um computador totalmente eletrônico e digital, chamado ENIAC, para realizar a tarefa em questão de forma mais automatizada. Além de projetarem o computador, as "The Computer Girls" criaram vários protocolos que são utilizados na área de computação até os dias atuais, como o “salvar” configuração do sistema, a invenção do teclado numérico, entre outros.

FOCO NAS MULHERES
Entre algumas iniciativas no Brasil, podemos destacar o Portal Mulheres na Computação, de Camila Achutti. Nele são divulgadas informações importantes sobre a computação com foco para as mulheres, como tecnologia, mercado, redes sociais, currículo, empreendedorismo, FAQs, palestras, eventos, vagas, entre outros. Podemos também destacar o Projeto Unidos Carreira, onde existe o segmento Unidas por Elas. Segundo o site, o projeto “nasceu para inspirar e capacitar mulheres rumo à independência psicológica, emocional e financeira, através de palestras, treinamento, e mentoria de carreira”. Inaray Sales (Gerente de Infraestrutura no Banco BV) e Cláudia Marquesani (IT Head/CIO na Petz) são algumas das idealizadoras. 

Entre alguns nomes da computação feminina brasileira, podemos citar a Profa. Dra. M. Cecília C. Baranauskasdo Instituto de Computação da Unicamp, em Campinas (SP). Ela é Honorary Research Fellow na Staffordshire University e Visiting Fellow junto ao Applied Informatics with Semiotics Lab na University of Reading, UK (2001-2002). Cecília também recebeu a Cátedra Ibero-Americana Unicamp-Santander Banespa para estudar problemas de acessibilidade em engenharia de software na Universidad Politécnica de Madrid, Espanha (2006-2007). Foi também agraciada com o ACM SIGDOC Rigo Award em 2010, além de já ter orientado inúmeros alunos de doutorado e mestrado (Plataforma Lattes, CNPq), inclusive o mestrado e doutorado deste humilde escritor que lhes escreve.

Podemos também destacar a Profa. Dra. Claudia M. Bauzer Medeiros, também do Instituto de Computação da Unicamp. Ela tem Doutorado em Computer Science - University of Waterloo (1985), Pós-Doutorado no INRIA, Franca (1990) e foi Presidente da Sociedade Brasileira de Computação (2003-2007). Recebeu o prêmio Newton Faller (SBC) , o prêmio Change Agent (ACM e Anita Borg Institute) e por três vezes o Prêmio de Excelência Acadêmica Zeferino Vaz (UNICAMP - 1997, 2001 e 2009). Em 2012, tornou-se ACM Distinguished Speaker. Em 2015,foi outorgada Dr. Honoris Causa pela Universite Paris Dauphine, França.

Em 2018, recebeu o Prêmio de Mérito Latino Americano em Informática, outorgado pelo CLEI (Centro de Estudios Latino Americanos en Informática) (Plataforma Lattes, CNPq). Claudia foi minha co-orientadora de mestrado e doutorado. Também é a Primeira Mulher (e única) Presidente da Sociedade Brasileira de Computação (SBC), a Segunda Doutora Brasileira em Computação, e Fundadora do Evento Women in Information Technology.

Ainda podemos destacar a Profa. Dra. Clarisse Sieckenius, que é uma cientista da computação, escritora e professora titular no Departamento de Informática da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), onde desenvolve pesquisas na área de interação humano-computador (HCI) e desenvolveu a teoria da engenharia semiótica. É também fundadora da SERG (Semiotic Engineering Research Group) na PUC-Rio (Portal Wikipedia). A professora Clarisse foi entrevistada para o quadro 'Mulheres Fantásticas', do 'Fantástico' (TV Globo), com o tema: Cientista brasileira tenta desvendar segredos da comunicação entre pessoas e máquinas.

Entre outras brasileiras, podemos destacar: Juliana Freire (Graduou-se na Universidade Federal do Ceará. É Professora titular de Ciência da Computação na NYU - New York University. É Diretora Executiva do NYU Moore-Sloan Data Science Environment. Foi também a Primeira Mulher eleita Chair do ACM SIGMOD - branch de bancos de dados da maior associação profissional internacional de Computação), Caroline Cintra (Diretora Presidente da multinacional Thoughtworks no Brasil), que é formada em Computação com láurea acadêmica pela UFRGS, Porto Alegre (RS). Paula Bellizia foi a primeira mulher presidente da Microsoft Brasil, além de ex-presidente da Apple Brasil. É formada em Computação e Ciência da Computação pela Unesp).

Por fim, podemos perceber o quanto as mulheres foram e são importantíssimas e fundamentais para a área de ciência da computação e tecnologias, tanto no cenário brasileiro, quanto mundial. Até o próximo artigo!!!

*JULIANO SCHIMIGUEL é Pesquisador, Orientador de Doutorado e Mestrado, Professor Universitário (Universidade Cruzeiro do Sul – São Paulo/SP, Centro Universitário Anchieta – Jundiaí/SP) e escreve sobre Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), além de seu impacto na sociedade e no ensino e aprendizagem. Para encontrá-lo, basta acessar seu LinkedIn ou mandar um e-mail: schimiguel@gmail.com.