AnaMaria

Compras por impulso: 5 perguntas básicas para evitar

5 perguntas básicas para evitar comprar por impulso

*Leka Oliveira, colunista de AnaMaria Publicado em 19/11/2021, às 08h00

Como evitar compras por impulso? - Freepik
Como evitar compras por impulso? - Freepik

Você é do time que já comprou por impulso? Do tipo que fez aquela “comprinha” de roupas/acessórios e depois se arrependeu? Fique tranquila, você não está sozinha... Quem nunca, não é? A sensação de adquirir algo pode ser boa, desde que seja uma ação responsável, consciente e planejada! Caso contrário, além de ficar com a sensação de vazio e falta de controle, também pode ficar endividada e com a sensação de arrependimento.

Pensando em te ajudar a evitar cair na armadilha das compras por impulso, separamos 5 dicas que vão te auxiliar a comprar com mais controle e equilíbrio. Anote aí!

1. MEU ARMÁRIO ESTÁ LOTADO?
Essa é uma pergunta básica, mas muitas mulheres desconsideram, porque acabam preferindo quantidade à qualidade. Não esqueça: antes de adquirir algo novo, é essencial saber o que já tem no seu armário! Com isso, você consegue aproveitar e investir em itens dos quais você realmente precisa. Se não tiver espaço para guardar novas peças, que tal doar, vender ou consertar antes de comprar? Assim, você ganha espaço para organizar melhor o que tem ou ainda pode deixar alguém mais feliz.

2. É FÁCIL USAR COM O QUE JÁ TENHO?
Se chegar à conclusão de que realmente precisa de determinada peça, pergunte-se quão fácil é usar ela com outras as peças que você tem. Um armário inteligente, possui peças multiplicadoras de looks, fáceis de combinar entre si. Assim, crie o hábito de investir em peças úteis para a sua rotina e que vão fazer render o seu armário. Anote aí: uma blusa deve combinar com pelo menos três peças que já estão em seu acervo pessoal.

3. ESTOU COMPRANDO SÓ PORQUE ESTÁ BARATO?
Como diz o ditado: “roupa cara é a que você não usa e que não dura”. Sim, porque não adianta comprar cinco blusas só pelo preço, mas que não tenham qualidade ou durabilidade. Para evitar esse tipo de situação, procure investir em peças que você realmente tenha gostado, com um bom caimento. Além disso, verifique outros detalhes, como a composição do tecido, acabamentos, costuras...Tudo isso, deve fazer parte da análise para adquirir ou não uma peça nova.

4. JÁ TENHO PEÇAS SEMELHANTES?
As chances de comprar peças iguais ou parecidas aumentam na medida que você não sabe o que possui. Por isso, fique atenta ao primeiro tópico dessa matéria. A consequência de comprar algo repetido é trazer aquela sensação do “não tenho nada para vestir”. Vale se questionar, por exemplo, qual é a necessidade de ter cinco calças pretas no armário, sabe? Quais looks diferentes você vai conseguir fazer com elas? Não muitos...  Quando comprar uma peça nova, procure variar as modelagens e corres. Assim, você garante maior variedade e satisfação na hora de montar looks!

5. POSSO PAGAR MESMO POR ELA?
Essa é uma pergunta essencial! Afinal, não adianta estar satisfeita com o seu armário, mas viver com o cartão estourado! Compre de forma consciente, só o que de fato precisa e o que pode pagar. Evite fazer compras por impulso e sem refletir, para não se arrepender. Também não ande pelo shopping quando estiver deprimida ou ansiosa... Ao seguir essas dicas, você pode se surpreender com sua forma de se relacionar com as compras!

*LEKA OLIVEIRA, produtora de conteúdo, consultora e colunista de moda. Na Revista AnaMaria apresenta dicas de moda, estilo, tendências, inspirações, beauty, autoestima e muito mais. Instagram: @lekaolliveira@revistafashionline