AnaMaria

Músico muda favela de São Paulo com projeto de arte, cultura e gastronomia

Claudinho Miranda é co-fundador do Instituto Favela da Paz e do Projeto Vegearte

*Projeto Retrato Social Publicado em 18/06/2021, às 10h00

Claudinho e o irmão, Fábio, criaram o Instituto Favela da Paz. - Loiro Cunha/Divulgação
Claudinho e o irmão, Fábio, criaram o Instituto Favela da Paz. - Loiro Cunha/Divulgação

Claudinho Miranda é um ser humano extraordinário que encanta por sua simplicidade e sabedoria. Nascido e criado na Favela do Jardim Nakamura, bairro localizado no distrito do Jardim Ângela, zona sul de São Paulo (SP), ele é co-fundador do Instituto Favela da Paz e do Projeto Vegearte, que transforma a realidade dos moradores da periferia por meio da arte, da cultura, da gastronomia e da inovação em um modelo próspero de sustentabilidade e promoção da paz.

O empreendedor social começou a fazer música cedo, aos nove anos de idade, enquanto Fábio Miranda, seu irmão mais novo, criava instrumentos a partir do lixo. Tudo isso em uma região considerada pela Organização das Nações Unidas (ONU), como uma das mais violentas do mundo nos anos 1990. Era um sonho coletivo e imenso de dois irmãos que queriam mudar o mundo, mas sem abandonar suas origens.

Foi assim que, há 30 anos, Claudinho, Fábio e mais alguns amigos criaram a banda Poesia Samba Soul. A ideia era espalhar solidariedade, cultura e um pouco de diversão para sua comunidade no Jardim Nakamura. “A música é o meu aprendizado maior. Foi através dela que eu aprendi como servir ao outro, como entrar em contato com o outro", conta ele.

E a banda foi apenas o início da parceria entre os irmãos. Juntos com seus amigos, em 2010 Claudinho e Fábio criaram o Instituto Favela da Paz. Trata-se de uma organização formada por músicos, artistas independentes e articuladores culturais que materializam os verdadeiros valores de uma comunidade: espírito de cooperação, compartilhamento de dons e talentos e vontade de transformar escassez em abundância.

Hoje o Favela da Paz possui uma sede e uma rede de agentes e de projetos que, além de enxergar a música como ferramenta de transformação social, abraçam também disciplinas como sustentabilidade, gastronomia, permacultura urbana (com hortas verticais), produção de energia renovável, desenvolvimento comunitário e trabalho de reconciliação em situação de crise. Todas essas ações têm ajudado a resolver questões complexas da sociedade.

COMER É UM ATO POLÍTICO
E é lá no Jardim Nakamura que encontramos também o Projeto Vegearte: um espaço de aprendizagem onde todos podem sentar juntos, comer e compartilhar bons momentos. Coordenado por Elem Fernandes, faz parte desse organismo vivo que é o Instituto Favela da Paz. Hoje, o projeto impacta a vida de muitas famílias em situação de vulnerabilidade, mostrando que é possível pensar uma gastronomia sustentável e entender a culinária como um elemento cultural e artístico.

O Vegearte oferece cursos gratuitos de pratos vegetarianos e acessíveis, estimulando uma alimentação saudável e sustentável. Além disso, todas as receitas são preparadas com biogás, tecnologia de energia renovável já utilizada e fomentada pelo Instituto. Um processo circular, em que os resíduos dos alimentos são transformados em energia – novamente utilizada para o preparo de novos pratos.


(Crédito: Fabiana Zanin)

PARA SABER MAIS
O Instituto Favela da Paz é um “epicentro de práticas regenerativas sociais”, atraindo hoje pessoas e organizações de todas as partes do mundo. Conheça, apoie, se aproxime, acredite! Siga @institutofaveladapaz e o @projetovegearte no Instagram, no Facebook e no Youtube.

ALÉM DO QUE PODEMOS VER?
Em sua série #RetratosDaAlma, que foi ao ar em setembro de 2020, o Retrato Social mostrou que retratar a alma é ir além do que os olhos podem ver. É olhar com o coração. É despir-se de todo e qualquer julgamento, pois só através de um olhar sensível que se percebe a beleza da essência. Retratar a Alma é olhar para a Luz que emana do outro. É ver o Bom, o Belo e o Justo.

Te convidamos a assistir a série #RetratosDaAlma por Retrato Social e a se emocionar com a gente, com toda a sabedoria, luz e o amor que pulsam e emanam do coração e da alma de Cláudio Miranda.

Agradecimento: Instituto Favela da Paz (@InstitutoFaveladaPaz)

Ficha Técnica dos vídeos:

Retrato Social

  • Regina Moraes (@regininhamoraes)
  • Anna Lapin (@lillylapin)
  • Fabi Zanin (@zanin_fabi)
  • Vera Ferraz (@verinhatferraz)

Direção e Fotografia

  • Carol Quintanilha (@carolquintanilha)

Roteiro

  • Anna Lapin (@lillylapin)

Vera Ferraz (@verinhatferraz)

Direção de Arte

  • Fabi Zanin (@zanin_fabi)

Assistente de Arte

  • Verônica Nunes (@_veronica)

Fotografia Still

  • Loiro Cunha (@loirocunha)

Motion Graphics

  • Raphael Villar (@raphaelvillar)

Trilha Original

  • Claudinho Miranda (@claudinho_pss)

Agência

  • Casa Salô (@casasalo.com.br)

Agradecimentos

  • Instituto Favela da Paz (@InstitutoFaveladaPaz) e Vegearte (@projetovegearte)

*RETRATO SOCIAL idealizado pela empreendedora social Regina Moraes, realiza curadoria, produção e comunicação de causas sociais e histórias potentes de pessoas extraordinárias que transformam a realidade onde vivem. A ideia é sair da vitimização e trazer protagonismo, deslocando-se dos problemas para as soluções de questões sociais. Ao conectar pessoas e comunidades a causas e projetos sociais, cria-se a esperança de um mundo possível e melhor.  Saiba mais no Instagram @RetratoSocial ou no Youtube Retrato Social.