Refugiada colombiana conta como é empreender no Brasil

Liliana Pataquiva precisou deixar seu país devido a guerras e influência de narcotraficantes

*Projeto Retrato Social Publicado sexta 4 junho, 2021

Liliana Pataquiva precisou deixar seu país devido a guerras e influência de narcotraficantes
Liliana posa com Omar Suleibi, refugiado sírio, e Jonathan Berezovsky, do Migraflix - Divulgação/Loiro Cunha

Você sabia que em todo 20 de junho é celebrado o Dia Mundial do Refugiado? Aproveitando estaa data tão importante, que visa homenagear a força de milhões de pessoas, obrigadas a deixarem suas casas e a se refugiarem em outro país, queremos dar visibilidade ao empreendedorismo feito por essas pessoas aqui no Brasil.

Uma delas é colombiana Liliana Pataquiva, que precisou deixar seu país de origem em 2014, em consequência da guerra e da pressão dos narcotraficantes que dominavam a região em que vivia. Ela foi a primeira da família a chegar na grande São Paulo atrás de uma vida melhor. Depois, vieram seu marido, César Giovanni, e os dois filhos.

Cozinheira desde o nascimento do primeiro filho, Liliana e o marido passaram dois anos intensos trabalhando em restaurantes da capital paulista até construírem um "pé de meia". Dois anos após sua chegada no país, em 2016, os dois resolveram  abrir seu próprio negócio. "A culinária é uma arte que você faz com o coração", diz Liliana Pataquiva.

Durante três anos, sua renda partiu de uma food bike no Beco do Batman, ponto turístico famoso da capital paulista no bairro da Vila Madalena, onde o fluxo de pessoas e eventos eram recorrentes antes da pandemia. De food bike passaram a food truck, hoje o casal possui um restaurante localizado na Vila Mariana, chamado 'Arepas Urbanika'.

A especialidade de Liliana são as famosas arepas, um prato de massa de pão feito com milho moído ou com farinha de milho pré-cozido nas culinárias populares e tradicionais da Venezuela, Colômbia, Bolívia e Panamá (onde é conhecido como tortilla e changa). São basicamente pãezinhos de milho branco com recheios bem generosos. Uma verdadeira delícia em forma de lanche.

COMO UM REFUGIADO PODE EMPREENDER NO BRASIL?
Ao sair de seu país de origem em busca de uma vida nova, muitos refugiados mostram resiliência para enfrentar desafios e mudanças de vida. E com a extraordinária Liliana Pataquiva não foi diferente.

Para montar seu restaurante, a colombiana contou com a ajuda do Migraflix, uma organização não-governamental sem fins lucrativos criada com o objetivo de integrar refugiados e imigrantes social e economicamente. Com todo o suporte oferecido, Liliana e seu marido puderam desenvolver as competências necessárias para montar um negócio do zero aqui no Brasil - junto é claro, de refugiados de todo o mundo recém-chegados ao país.

Em entrevista ao Retrato Social, Liliana conta que "fugir da Colômbia foi como recuperar sua tranquilidade e começar uma vida nova". Aqui no Brasil, Liliana construiu tudo do zero. Assim, passou a alimentar seus sonhos, os da família e de centenas de clientes, dedicando-se às histórias, tradições e saberes da culinária Colombiana.

A equipe do Retrato Social conheceu Liliana em 2018, nas gravações da temporada Refugiados. Desde então, temos acompanhado o crescimento e os desafios dessa mulher forte e corajosa, que só tem a somar na cultura e na gastronomia de São Paulo.

E COMO APOIAR REFUGIADOS DURANTE A PANDEMIA?
Com a pandemia, muitos refugiados que passaram a empreender no Brasil tiveram sua fonte de renda comprometida. Por isso, convidamos quem, como nós do Retrato Social, confia e acredita no poder da realização da humanidade, a buscar se engajar para dar suporte e apoio aos refugiados empreendedores no Brasil.

No site do Migraflix você encontra várias informações e meios de ajudar.

E se você deseja apoiar diretamente a Liliana e seu restaurante, está no ar uma vaquinha em parceria com o Instituto Consulado da Mulher e o Abrace uma Causa. Acesse e saiba mais! 

Confira também o episódio 1, da Temporada Refugiados, em que Liliana é uma de nossas estrelas: 

*O RETRATO SOCIAL é um projeto idealizado pela empreendedora social Regina Moraes, realizando curadoria, produção e comunicação de causas sociais e histórias potentes de pessoas extraordinárias que transformam a realidade onde vivem. A ideia é sair da vitimização e trazer protagonismo, deslocando-se dos problemas para as soluções de questões sociais. Ao conectar pessoas e comunidades a causas e projetos sociais, cria-se a esperança de um mundo possível e melhor. Saiba mais no Instagram @RetratoSocial ou no Youtube Retrato Social.

Último acesso: 22 Sep 2021 - 20:22:19 (1145881).