AnaMaria

Meditação guiada: dicas e conceitos para introduzir a técnica no dia a dia 

É mais fácil focar e relaxar quando o cérebro não é inteiramente deixado por conta própria

*We Mystic Brasil, colaboração especial para AnaMaria Publicado em 31/07/2021, às 17h00

A dica é começar com poucos minutos por dia e depois evoluir - Pixabay/Shahariar Lenin
A dica é começar com poucos minutos por dia e depois evoluir - Pixabay/Shahariar Lenin

Manter-se no momento presente, sem julgamentos a respeito dos pensamentos que surgem em sua mente durante alguns minutos, apenas. Na teoria, meditação é uma prática simples e recomendada por especialistas das mais diversas áreas. Mas você já experimentou ficar sozinho com esse turbilhão de lembranças, situações, ideias, devaneios, e não se apegar a nada disso?

Ainda que simples em seu conceito, a meditação em sua essência é uma prática que exige paciência e persistência, até que os resultados sejam finalmente observados e você passe a dominar a inquietude na mente no dia a dia. Mas você pode encurtar o caminho! Não para que esse dia chegue mais rápido, mas para que você comece a se familiarizar com as mais diversas técnicas que esse universo disponibiliza.

O QUE É MEDITAÇÃO GUIADA?
Meditações guiadas são excelentes ferramentas para iniciantes no mundo da meditação, uma vez que essa técnica fornece um ponto focal ao praticante e, gentilmente, dá instruções que podem auxiliá-lo a “desconectar” a mente e apenas observar os pensamentos que surgem nela, sem julgamentos ou apegos. Somente percebendo a existência deles, e os deixando ir embora.

Durante uma meditação guiada, você será orientado por uma voz. E como a mente tende a vagar por onde ela quiser, muitas pessoas acham mais fácil focar e relaxar quando o cérebro não é inteiramente deixado por conta própria.

Essa forma de meditação é frequentemente conduzida por um guia, seja em uma aula presencial ou por meio de gravações disponibilizadas em aplicativos, podcasts, vídeos, entre outros. Costuma se apresentar em três formas distintas (ou finalidades): mindfulness, redução de estresse e relaxamento. Elas podem ser combinadas entre si ou personalizadas de acordo com a metodologia de cada instrutor.

Geralmente, independentemente do objetivo da meditação, o praticante é induzido a incorporar uma visualização para que a imagem evocada seja utilizada com a finalidade de ancorar a prática. Combinado a esse cenário mental, ciclos de respiração são introduzidos, juntamente de uma melodia agradável, auxiliando na redução dos níveis de ansiedade e estresse.

Também frequente, há o método do escaneamento corporal, que guia o meditador por cada parte do corpo, dos pés à cabeça — sempre suportado por uma respiração consciente — proporcionando relaxamento e consciência corporal. É muito comum que pessoas com insônia recorram a esse método, que ajuda a embalar o sono e a ter uma noite restauradora.

COMO COMEÇAR A PRATICAR?
Se essa é sua primeira aventura no universo da meditação, ou se já tentou de outras formas e não conseguiu se manter no lugar por muito tempo, saiba que a meditação guiada também pode ser ajustada em níveis, até que você se sinta confortável em dar passos maiores.

Um primeiro contato, por exemplo, pode ser por meio de práticas de 5 minutos — você tem esse tempo, não tem? Esses áudios curtos podem ser encontrados com facilidade no YouTube ou em aplicativos direcionados, e auxiliarão você a relaxar no meio do dia; entre reuniões, depois do almoço ou até mesmo enquanto está no transporte público rumo ao trabalho. Encontrou um momento? Sentiu a necessidade? Então não há mais desculpas.

Nessas versões mais sucintas, a atenção plena pode se fazer bastante presente enquanto o instrutor vai guiando a sua mente através do corpo, direcionando seus pensamentos às áreas de maior tensão e sempre observando a respiração — a forma como o ar entra e sai dos seus pulmões. 

Em outras versões, você também será convidado a definir uma intenção para o seu dia. Isso não quer dizer inundar a mente de afazeres, mas estabelecer uma conquista, por menor que ela seja. Algo que o motive, inspire e impulsione a ultrapassar os desafios de forma mais leve, vibrando em alta frequência.

PEGANDO PRÁTICA
A partir do momento em que você começa a se sentir mais confortável com meditações guiadas curtas, é possível aumentar essa duração. Existem disponíveis opções de 10, 15, 20 e até 60 minutos. Tudo depende da sua disponibilidade e do quanto está familiarizado com o método.

Conforme o tempo dedicado à prática aumenta, as meditações também se tornam mais elaboradas e, em muitos casos, os instrutores optam por inserir imagens mentais aos seus praticantes, a fim de estabelecer uma conexão mais estável com o momento presente.

Imagine um local em meio à natureza, sem influências externas, ruídos ou qualquer outro tipo de distração. Se preferir, você pode inserir uma cabana, um chalé ou uma casinha bastante aconchegante a esse cenário.Um rio flui levemente nas proximidades, talvez com uma pequena queda d’água que emite um som que remete aos bons momentos da infância. Não existem pessoas nos arredores ou, quem sabe, crianças estejam brincando ao longe, mas não percebem a sua presença.

Você avista um banquinho tímido, um pouco descascado, que te convida para se sentar e apreciar a vista. E assim você o faz. Apenas você e seus pensamentos. Não há nada mais com o que se preocupar, apenas desfrutar daquele momento.

O que você observa, além de si mesmo? Em que altura o sol está? Ou o dia está nublado? Talvez você esteja recebendo alguns respingos de chuva na sua jaqueta. A imaginação é um universo à parte, integrante do processo de permanecer presente. Ainda que se assemelhe a uma fuga, não estamos falando em devaneios. Você está consigo mesmo, ancorado e pronto para receber as próximas instruções.

Naturalmente, essa jornada deve guiá-lo a exercícios de respiração e trazê-lo frequentemente para o agradável ambiente que a sua mente criou. E ali, naquele banquinho, você deverá permanecer durante toda a prática. Talvez o instrutor selecionado te leve para outros lugares, ou proponha outros tipos de abordagem, mas é importante que você absorva esse conhecimento e dê seguimento ao que lhe está sendo transmitido. Seja uma viagem ao cenário ideal ou um escaneamento minucioso sobre todo o seu corpo.

COMO APRENDER?
Seja com as técnicas de mindfulness, relaxamento ou redução de estresse, você estará aprendendo a permanecer ancorado no momento presente — para observar o que está acontecendo aqui, agora — e isso naturalmente resulta em uma sensação de paz, tranquilidade e consciência plena.

Não é porque você está substituindo a mente ocupada por imagens agradáveis, mas porque você descobriu que é realmente possível estar ciente do que está acontecendo no fluxo mental, e permite que isso passe, deixe de existir — nem que seja por um instante.

À medida que a prática de meditação desenvolve o eixo mais fundamental do nosso ser, é essencial confiar em novos métodos de meditação, claros, progressivos e genuínos. E isso caberá a você definir; estabelecendo padrões, resultados e satisfação.

Lembre-se que você pode olhar para dentro de si mesmo com atenção plena e equanimidade. Com compaixão, você pode reconhecer os pensamentos e emoções complexas e, depois, deixá-los partir. Você não é suas emoções; você não é seus pensamentos. Você é as qualidades inerentes à sua mente: paz, amor e empatia, prontos para serem compartilhados com o próximo.

Que você encontre paz e cura. Que você aceite e encontre felicidade nas coisas como elas são. Que você permita que tudo simplesmente seja. Tudo o que você precisa já está aí dentro, na clareza de sua mente.

*WE MYSTIC BRASIL é um site de conteúdo e ferramentas que poderão ajudar a nossa comunidade a tomar decisões mais conscientes e fundamentadas na área da Espiritualidade e Bem-Estar. Acesse: www.wemystic.com.br