Aprenda a lidar com os gritos de birra e de comportamento das crianças

Quando gritamos, a criança para porque se assustou, não por entender que o que fez era algo errado

Monica Romeiro Publicado domingo 4 abril, 2021

Quando gritamos, a criança para porque se assustou, não por entender que o que fez era algo errado
"Meu filho grita demais e, confesso, não sei o que fazer para mudar isso.” - Banco de imagens

Gritos nos deixam mesmo sem saber como agir. Mas, gritar de volta não é o caso, pois isso denota que tal comportamento é aceitável. Existem diferentes tipos de gritos:

Grito de birra: aqui, a dica é deixar as regras claras e cumpri-las. Se você combinou que a criança só volta a brincar quando parar de gritar, assim deve ser. Cumpra sua palavra para que ela saiba que pode confiar em você. Ao ceder, a criança entende que é um comportamento premiado. Fale sem gritar e de forma firme que, assim que ela se acalmar, vocês vão conversar. Tire seu filho do ambiente em que está, ofereça um abraço... Ele pode precisar de um aconchego para ficar calmo.

Grito comportamental: pode aparecer quando seu filho está imitando um personagem que fala gritando. Se ele tiver mais de 4 anos, levante questões como: o que você acha da forma que ele fala? Você, gostaria que um amigo falasse assim com você? Os questionamentos irão ajudá-lo a entender que nem tudo que ele assiste é legal reproduzir. E, se o que ele assiste não é adequado ou não condiz com os seus valores, talvez a melhor atitude seja não permitir mais que assista. Esse grito também se estende para outros ambientes que a criança frequenta, como escola, clube. Conversar com os coordenadores ajudará você a entender o que está acontecendo. É essencial olharmos para o nosso próprio comportamento. Como você fala com seu filho? Não tem como negar que, quando gritamos, a criança tende a parar o que estava fazendo. Parece até que o grito foi eficiente, mas, na verdade, ela não parou porque percebeu que estava agindo errado, e sim porque ficou assustada. Mudar não é fácil, mas é possível. E por nossos filhos a gente faz até o impossível!

“Não tem como negar que, quando gritamos, a criança tende a parar o que estava fazendo. Parece até que o grito foi eficiente, mas, na verdade, ela não parou porque percebeu que estava agindo errado, e sim porque ficou assustada”

Gritos importantes para o aprendizado

Sim, eles existem: Grito da descoberta: em que ela descobre o eco da própria voz. Grito do encontro: com amigos, primos. É o grito de alegria! Grito das discussões: seja pela disputa num jogo ou para reclamar que o irmão tomou o brinquedo. Com o amadurecimento, esses gritos evoluem para argumentos e conversas.

Identificação dos tipos de gritos

Isso deve ocorrer, considerando a possibilidade de a criança ter um problema auditivo. Nesse caso, ela só ouve quando as palavras são pronunciadas em um tom mais alto, logo, é natural que fale mais alto também. A avaliação auditiva pode identificar se essa é a causa.

 

Último acesso: 18 Oct 2021 - 20:32:14 (1142973).