comportamento   / Vida mais zen

Atriz de 'Gênesis', Jéssica Juttel, revela novos hábitos que deixam sua vida mais leve

Ela é determinada e fez escolhas que mudaram significativamente sua vida: o vegetarianismo e a yoga

Karla Precioso Publicado domingo 20 junho, 2021

Ela é determinada e fez escolhas que mudaram significativamente sua vida: o vegetarianismo e a yoga
Jessica Juttel revela quais escolhas transformaram sua vida para melhor - Instagram/@jessicajuttel

Jéssica Juttel já atuou na série 'O Negócio', na HBO, e nas novelas 'Verão 90' e 'Segundo Sol', ambas na Globo, além de 'Amor sem Igual' e, atualmente, 'Gênesis', na RecordTV. 

Adepta de uma vida equilibrada, vegetariana e praticante de yoga, a atriz revela como essas escolhas transformaram seu corpo e mente, proporcionando mais saúde e bem-estar.

Confira a entrevista completa com a atriz!

Quando você sentiu a necessidade de ter uma vida mais saudável?

Quando entendi os interesses reais das indústrias alimentícias, farmacêuticas e de cosméticos. Quanto mais eu estudava o assunto, mais eu buscava um estilo de vida consciente. Também preciso reconhecer que ter sido criada pela minha mãe na casa dos meus avós me trouxe muito contato com comida de verdade desde criança.

Portanto, a minha raiz sempre esteve ligada e aterrada à natureza. A diferença é que hoje eu não compro mais nada sem pesquisar a origem e tudo o que significa tal produto.

Quais foram seus primeiros passos para seguir uma filosofia de vida mais zen?

Comecei com a meditação. É um ritual de autoconhecimento que mudou meu entendimento sobre mim, os outros e o meio ao qual estou inserida. Em seguida, experimentei a yoga e comecei a perceber uma leveza maior no meu corpo, pensamentos e em vários pontos de desequilíbrio interno. A yoga mudou a minha vida! 

Você é vegetariana há muito tempo? 

Eu estou vegetariana há um ano e dois meses e, a cada dia, tento evoluir mais para o veganismo. Tudo começou quando pararam as gravações da novela ['Gênesis'] no Marrocos por causa da pandemia. Ao retornar ao Brasil e me deparar com o isolamento, percebi que estaria totalmente sozinha no Rio de Janeiro, e isso fez eu me olhar com mais amor, carinho e cuidado. 

Comecei a assistir a documentários e a ler muitos assuntos relacionados à alimentação vegetariana/vegana. Sabe quando você começa a estudar algo e você percebe que pertence a este mundo? Foi isso. Gosto de alimentar meu corpo e alma com comidas que trazem consigo boas vibrações, e precisamos concordar que a carne está bem longe disso.

Quais são as diferenças mais visíveis no organismo?

Resumindo em uma frase: qualidade de vida. Minha digestão é rápida, me sinto mais tranquila, durmo muito melhor. Até a pele e o cabelo melhoraram. Com o acompanhamento de um nutricionista, só há vantagens nessas mudanças de hábitos.

Foi difícil começar? 

Não. Sou favorável aos processos lentos, com calma. Não acho bacana a atitude de uma mudança imediata, apenas excluindo a carne do prato, pois isso gera um sentimento de carência e uma sensação de que a refeição está incompleta.

Infelizmente, nos referimos à carne como fonte de proteína, presumindo que só há proteína nesses alimentos de origem animal. Isso é um grande mito. A proteína se origina das plantas. Vacas, porcos e galinhas são apenas intermediários. 

Como surgiu o interesse pela yoga e quais mudanças você percebe em seu corpo e mente?

Surgiu há cinco anos quando uma amiga me convidou para acompanhá-la em uma aula ao ar livre. A yoga me fez evoluir grandiosamente com a disciplina e obtive saltos quânticos com o vegetarianismo, pois o corpo fica mais leve, com menos inflamações e o sangue circula com mais pureza e espaço pelo corpo inteiro.

Qual conselho você daria para quem está precisando dar aquele estímulo na vida? 

Olhe-se no espelho com toda a sua verdade, com todas as suas dores, frustrações, anseios e sonhos. Fique assim um tempo respirando e observando. Respirando e se amando. Respirando e falando para você o quanto você é incrível e o quanto só depende de você para mudar a rota da sua vida. 

Comece aos poucos. Se tiver dias que não conseguir, tudo bem. Somos humanos, e não máquinas. Apenas tente no dia seguinte novamente. 

Oxigene o cérebro de alguma forma: com dança, corrida, pedalada, natação, yoga... Qualquer exercício que te faça suar, pois isso irá liberar as toxinas do corpo que estão sendo barreiras para o seu melhor funcionamento, e assim curar dores e traumas que sua mente não consegue definir. 

Também pesquise a fundo os benefícios de cada alimento. Antes de estudar as minhas cenas da novela, por exemplo, cheiro um raminho de alecrim, pois ele ajuda a ativar o cérebro e a dar foco. Dessa maneira, sempre que você for preparar os alimentos, você pensará em alimentar a sua alma. 

Não pense em preparar um suco verde para emagrecer, e sim para ser feliz e suprir as necessidades reais do seu corpo. Não é sobre ir atrás compulsivamente de um padrão ditado, mas sobretudo sobre amor-próprio!

Último acesso: 17 Sep 2021 - 22:21:45 (1146464).