AnaMaria
Comportamento / Filhos

Saiba como proteger seu filho dos riscos envolvendo videogames

É necessário cuidar de perto da relação do seu pequeno com os jogos

Monica Romeiro, colunista da revista AnaMaria Publicado em 16/10/2021, às 15h00

Saiba como manter seu filho 'gamer' em segurança - Kelly Sikkema / Unsplash
Saiba como manter seu filho 'gamer' em segurança - Kelly Sikkema / Unsplash

Sou apaixonada por jogos, sou daquelas que disputa o controle do videogame com o filho e o marido. Mentira, nos finais de semana o videogame é meu e do meu marido! E meus filhos cresceram assistindo aos pais jogarem e também adoram. 

Mas tudo que é demais prejudica, assim como não cuidar de perto pode trazer resultados desastrosos. Divido aqui dicas que podem ajudar a melhorar a relação do seu filho com os jogos e, ao mesmo, protegê-los:

1 - Fones de ouvido: por mais confortável que seja usar os fones, aqui em casa eles são proibidos durante os jogos que tenham interações com outros participantes. É comum que em jogos como Free Fire, Fortenight e Roblox pessoas desconhecidas comecem a conversar com as crianças. 

Muitas vezes, se aproximam oferecendo itens raros dos jogos e logo estão liberados nos bate-papos. Usando os fones, não conseguiremos descobrir facilmente se eles estão conversando com outras crianças ou adultos. Por aqui a regra é clara: só pode conversar com quem eles conhecem pessoalmente e sem usar fones de ouvido.

2 - Classificação indicativa: assim como os filmes, os jogos também têm classificação indicativa a precisamos prestar atenção antes de liberá-los. Cenas de violência, nudez e linguagem imprópria para os pequenos são bem comuns, então verifique sempre se a idade do seu filho e a do jogo são compatíveis.

3 - Limite de tempo: estabeleça limite de tempo para jogar. As crianças ainda não têm maturidade para entender que precisam de outras atividades longe das telas. Eu costumo avisar meus filhos uns 15 minutos antes do tempo acabar. Assim, eles conseguem finalizar as partidas em andamento e se despedir dos amigos.

EXISTEM BENEFÍCIOS, SIM!

Além de desenvolver o raciocínio lógico, a criança também aprende a lidar com frustrações (quando perde) e ser perseverante para continuar tentando. Ainda aprimora o reflexo e a coordenação motora, afinal apertar todos aqueles botões ao mesmo tempo exige bastante destreza. A interação de jogar também promove mais habilidades de convívio social.

DE OLHO NO COMPORTAMENTO

Alguns jogos podem deixar a criança ansiosa ou até atrapalhar o sono. Observe o que seu filho joga, acompanhe algumas partidas e, se notar que algum jogo está atrapalhando a qualidade de vida dele, repense sobre os horários e tipos de jogos que seu pequeno tem acesso.

MONICA ROMEIRO @almanaquedospais Conselheira maternal, criadora do canal Almanaque dos Pais e autora do livro Vem cá me dar Um abraço.