AnaMaria
Coronavírus / Pandemia

Cidade brasileira, que vacinou todos os adultos, não registra morte há 7 meses

Cidade no interior do Ceará foi a primeira a vacinar todos os adultos contra covid-19

Da Redação Publicado em 25/01/2022, às 16h08

Unsplash
Unsplash

Guaramiranga, município no interior do Ceará, não registra novas mortes por covid-19 há sete meses. A cidade, com pouco mais de 5 mil habitantes, já vacinou toda população adulta contra a doença.

Além disso, até esta terça-feira (25), 96% dos habitantes com 11 anos já recebeu as duas doses da vacina, e, 25% tomou a dose de reforço. Guaramiranga também foi a primeira cidade cearense a aplicar a primeira dose em todos os adultos, ainda em junho de 2021.

O município foi escolhido para colaborar com um teste de eficiência da vacina. Os habitantes, assim que recebem as doses, passam por dois exames: o primeiro para detectar a presença do vírus e o segundo para avaliar o grau de imunidade a ele, segundo informações do portal G1.

FIM DA PANDEMIA

A variante Ômicron pode contribuir para que a pandemia acabe mais rápido no continente europeu, de acordo com o diretor regional da OMS, Hans Kluge. Ele se mostrou otimista com este cenário.

“É plausível que a região esteja se aproximando do fim da pandemia [...] Assim que a onda da Ômicron se acalmar haverá imunidade por algumas semanas e meses, seja graças à vacina ou porque as pessoas terão sido imunizadas pela infecção, e também uma queda devido à sazonalidade”, afirmou ele em entrevista ao jornal O Globo no último domingo (23).

Porém, Kluge ressaltou que é importante continuar tomando todos os cuidados e medidas sanitárias, já que o coronavírus “surpreendeu mais de uma vez”. Vale lembrar que a variante Ômicron é mais infecciosa do que as outras.

Especialistas da área da saúde estimaram que, pelo menos, 60% da população europeia poderá ser infectada com a nova variante até o fim de março, segundo levantamentos da reportagem do Globo.

MAIS TEMPO NA PELE

A variante Ômicron é a mais resistente em ambientes externos, com capacidade de ficar 21 horas na pele e até 193 horas, o que equivale a oito dias, em superfícies plásticas. O estudo, ainda não revisado por pares, foi feito pela Universidade de Medicina da Prefeitura de Kyoto, no Japão, e comparou a variante com o vírus original da covid-19.

Embora tenha alto contágio, o diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom Ghebreyesus, fez prognóstico otimista nesta segunda-feira (24), sem deixar de fazer um alerta. “Podemos acabar com a fase aguda da pandemia este ano e dar fim à Covid-19 como emergência sanitária mundial", declarou, dando o nível de alerta mais alto da OMS.