AnaMaria
Coronavírus / covid-19

Repórter da Globo desabafa após diagnóstico de coronavírus: ''Mais sério do que pensamos''

''Não sou idosa, não tenho doença preexiste e nem sou sedentária'', escreveu a jornalista ao dizer que temeu a morte

Da Redação Publicado em 12/04/2020, às 13h35 - Atualizado às 13h38

Heloísa Torres é repórter do 'Bom Dia Brasil' - TV Globo
Heloísa Torres é repórter do 'Bom Dia Brasil' - TV Globo

Heloísa Torres, repórter do 'Bom Dia Brasil', exibido nas manhãs da Globo, usou o espaço das redes sociais para compartilhar, na noite do último sábado (11), um desabafo após ser diagnosticada com o novo coronavírus (Covid-19). 

“Eu não gosto muito de falar os detalhes da minha vida, tenho vergonha, mas enfim, essa doença merece que a gente fale sobre ela… Os sintomas persistiram e eu comecei a sentir muita dor no peito e eu fui parar no hospital. Quando eu cheguei no hospital, estava com pneumonia nos dois pulmões e o outro exame deu positivo”, falou em um vídeo para o Instagram. 

Além disso, a jornalista escreveu um alerta aos seguidores e afirmou que a doença é mais sério do que muita gente pensa. 

“E por que eu tô falando tudo isso aqui? Porque se eu mudar a cabeça de uma pessoa, já tá valendo essa postagem. Essa doença é muito mais séria do que a gente pensa, ela é muito mais grave. Eu não tenho doença preexistente, não sou idosa, não sou sedentária e fiquei do jeito que eu fiquei. Essa doença tem que ser levada muito a sério…Ela exige muito cuidado, muita atenção de todo mundo. Isso aqui é vida real, eu passei por isso”, continuou.

Para continuar, Heloísa contou que temeu perder a vida, pois os sintomas eram fortes. 

“Foram cinco dias no hospital muito difíceis, em dois momentos eu achei realmente que eu ia morrer. Eu me agarrei as forças que eu ainda tinha. Rezei, pedi a Deus, Nossa Senhora, que me desse forças e coragem para continuar”, disse.

Por fim, falou sobre a importância da quarentena: “O isolamento é muito difícil, muito… mas o momento é de isolamento para isso, para a gente preservar a nossa vida, a vida da nossa família, dos nossos amigos, a vida de quem a gente não conhece”, concluiu.