O que é tratamento 3D para o cabelo e quais seus benefícios?

O que é o tratamento 3D no cabelo e quais são os benefícios?

Raquel Borges Publicado sábado 14 dezembro, 2019

O que é o tratamento 3D no cabelo e quais são os benefícios?
Nada como dicas de especialistas para saber como aderir ao tratamento - Banco de Imagem/Getty Images

Nossa relação com o próprio cabelo é uma montanha-russa, cheia de altos e baixos. E existem quatro principais causas para essa briga diária: volume, frizz, fios rebeldes e efeito armado. 

A boa notícia: já existe no mercado produtos capazes de dar vida nova às madeixas. Esses cosméticos são classificados como 3D e 4D. Isso significa que cuidam dos fios em todas as dimensões, ajudando a resolver os tais motivos que nos fazem viver em pé de guerra com os cabelos. 

Para entender melhor como os produtos dessa categoria agem, conversamos com o beauty artist Danilo Donadeli (@danilodonadeli) e o tricologista Valcinir Bedin. Ambos falaram da importância desse tipo de tratamento e como não cair em ciladas. Confira!

O QUE É O TRATAMENTO 3D/ 4D? 
Segundo Valcinir Bedin, o método leva em consideração várias técnicas que atuam em conjunto e realizam um processo tri ou quadridimensional. 

“Poderíamos pensar em restauração, hidratação e recuperação, além do relaxamento quando necessário. Em suma, é um tratamento global para cabelos danificados, que utiliza produtos já existentes, mas elaborados para serem usados em conjunto.”

BENEFÍCIOS DOS SONHOS
De maneira geral, a recuperação dos fios é a grande vantagem dos produtos dessa categoria. Para Danilo Donadeli, por ser um cosmético rico em aminoácidos e com grande poder de reconstrução, o tratamento, além de hidratar, restaura e recupera as propriedades perdidas que sofreram agressões por processos químicos. 

“Ou até mesmo por outras causas em que os fios necessitam de reposição de vitamina para recuperar brilho e resistência”, analisa ele.

ALERTA CILADA!
Na vontade de ter um cabelo dos sonhos, muitas pessoas se arriscam em alguns procedimentos capazes de comprometer a saúde das madeixas. Saiba como fugir de três roubadas: 

  1. Para Bedin, a primeira cilada é um diagnóstico equivocado. “Você não vai ter sucesso na recuperação de um fio danificado se não souber por que ele está neste estado”, diz. 
  2. Usar produtos de origem suspeita ou desconhecida e aplicar um relaxante de má qualidade pode danificar ainda mais os seus cabelos. 
  3. Última emboscada: não obedecer às indicações de uso dos produtos e criar um tratamento próprio. “Se seguir as orientações de produtos de boa origem não haverá problemas”, avisa o beauty artist.

CADA MADEIXA UMA SENTENÇA 
Existem produtos específicos para todos os tipos de cabelo. Busque o tratamento 4D elaborado para a sua qualidade de fio. “Logo, não se deve usar um produto 4D para cachos se o seu cabelo não for cacheado. Tampouco utilize um cosmético para lisos se o seu cabelo for ondulado”, explica Bedin.

TENDÊNCIA À VISTA 
“O método 3D e 4D aborda como um todo o problema dos fios. Logo, será adotado com este ou outros nomes pelos centros capilares”, analisa o tricologista. 

Para ele, os fabricantes enxergam com bons olhos a possibilidade de ter uma linha a mais para oferecer aos salões e aos consumidores. Logo, a tendência para este grupo de cosméticos é de crescer ainda mais.

CUIDADO COM O PESO
O excesso de qualquer produto pode deixar o aspecto do fio pesado. “Utilize só quando houver necessidade. Faça a manutenção em casa com xampus hidratantes indicados pelo seu cabeleireiro”, alerta Donadeli.

DICA DE OURO
Dar um tempo antes de refazer qualquer aplicação nos fios é extremamente importante para eles ficarem saudáveis. 

“Cabelos externamente sensibilizados quando expostos a tratamento de choque tendem a ficar com aspecto pesado. Assim, se não aguardar o tempo de pausa que os produtos pedem em sua utilização, o procedimento se torna um perigo. Realizado de maneira errada, existe risco de corte químico (quando fios ficam quebradiços e elásticos)”, finaliza Bedin.

Último acesso: 27 Oct 2020 - 12:36:54 (1091291).