Transição Capilar: como passar pelo processo sem traumas?

Dicas para passar pela transição capilar e conquistar os cachos dos sonhos

Juliana Ribeiro Publicado terça 10 dezembro, 2019

Dicas para passar pela transição capilar e conquistar os cachos dos sonhos
Fernanda Chaves conquistou cachos perfeitos após passar pela transição capilar. - Arquivo Pessoal

Taís Araújo interpretou a protagonista Helena na novela “Viver a Vida” no longíquo ano de 2009. Mal sabia a atriz que seus cabelos longos e cacheados, exibidos na trama das 21 horas da TV Globo, serviram de inspiração para a hoje digital influencer Fernanda Chaves, do 'Cantinho da Nanda'.

"Ver a personagem me fez lembrar da minha adolescência, quando ainda não tinha começado a alisar o cabelo. Aquilo despertou em mim uma vontade de me ver cacheada novamente, de dar uma chance para o meu cabelo", relembra ela, que hoje está com 30 anos.

Mas, ao decidir abandonar de vez o alisamento nos cabelos, Fernanda passou por uma longa fase de espera até ter seus cachos de volta. A chamada transição capilar é o processo de espera do crescimento capilar para que o cabelo volte ao seu formato natural, totalmente livre da química- seja de relaxamento, permanente ou escova progressiva.   

"Ela acontece naturalmente e é intensificada com os cuidados diários que auxiliam no crescimento", explica a cabeleireira Creuza Oliveira, especialista em fios crespos e cacheados.

NÃO É FÁCIL

Durante o processo de transição capilar, muitas mulheres sofrem com a diferença de textura dos fios. Isso porque demora um pouco para os cabelos voltarem a crescer na versão natural, fazendo com que ele passe algum tempo indefinido, meio lá, meio cá. 

Enquanto uma parte ainda está com o alisamento, a raiz vai tomando forma, e isso pode incomodar muito no início, como ocorreu com a influencer. “Eu não estava me sentindo bem com a maneira que meu cabelo estava, mas depois arrumei alternativas para me ajudarem nesse período", diz.  

DIFERENÇA DE TEXTURAS, COMO DISFARÇAR?

Para Creuza, mais do que tentar disfarçar as texturas diferentes dos fios, é preciso estar bem consigo mesma, ter persistência e determinação para não desistir. 

"Tente usar adornos e acessórios que valorizem as características e amenizem a diferença de texturas, tais como bandanas, turbantes, tranças, penteados semi-presos, tiaras, faixas e presilhas", indica. 

Ela ainda salienta que é importante se atentar ao uso de secadores e chapinhas neste período, pois o calor, dependendo da intensidade e ação, pode agredir os fios e até provocar o alisamento. 

Neste caso, existem acessórios como bigodins, canudos e rolinhos que dão uma textura ao cabelo de maneira a ajudar a formação de cachos ou proporcionar efeito frizado na parte lisa do cabelo (onde há química). “Por meio destes acessórios de manipulação é possível aproximar as texturas e manter os cabelos mais bonitos", sugere. 

Já o cabeleireiro Almiro Nunes, da Clínica dos Cachos em São Paulo (SP), também dá outra dica certeira para esta fase: um dedoliss bem feito. “A técnica de texturização consiste em enrolar os fios com os dedos, como se fosse um modelador, criando cachos bem definidos”, diz. 

A digital influencer conta que abriu mão de todas essas dicas e optou pelo alongamento dos fios. "Eu usei mega hair durante o período de transição, e isso ajudou bastante", revela. 

O QUE É O BIG SHOP?

O big Chop é um dos passos para quem deseja ter os cabelos naturais mais rapidamente FOTO: Arquivo pessoal/ @creuzacachosecachos

Para quem passa pela transição capilar, existem duas opções: ou deixa o cabelo crescer até que chegue ao comprimento desejado, ou fazer o 'BC', que é uma abreviação do Big Chop, traduzido para o português como "Grande Corte". 

Segundo Creuza, este é o termo utilizado quando as crespas e cacheadas decidem cortar o cabelo, eliminando toda a parte alisada ainda na fase inicial da transição, preservando o cabelo mais curto, porém totalmente natural. Mas ela ainda salienta que este ‘tempo’ pode variar de pessoa para pessoa. 

"Essa definição de tempo vai ser determinada conforme a necessidade de eliminação da parte lisa através do corte, entendida por cada pessoa. O tempo será conforme o quanto confortável cada um se sente com o seu cabelo para realizar o corte, encerrando assim esse período e encarando uma nova fase de cabelo natural", afirma. 

Almiro explica que o BC é o grande momento para a mudança. "Nós analisamos qual o tamanho do estrago causado pela química e tomamos uma decisão junto com a cliente, cortar tudo, cortar aos poucos... Depende de cada caso e cada pessoa. É o dia de assumir seu cabelo, sua verdade!", conclui. 

AUMENTO NO INTERESSE POR CACHOS

Segundo um levantamento do Google BrandLab, o interesse por cabelos afro cresceu nada menos que 309% nos últimos dois anos e, pela primeira vez, esse interesse por cabelos cacheados superou o de cabelos lisos nas buscas. 

Ainda de acordo com a pesquisa, 24% das mulheres de 18 a 24 anos reconhecem seu cabelo como cacheado, e de cada três, uma diz já ter sofrido preconceito por causa do cabelo.  

Em relação a transição capilar, as buscas também cresceram! O aumento foi de 55% nos últimos dois anos. 

Último acesso: 06 May 2021 - 00:35:30 (1091208).