Após sofrer gordofobia, ela mudou o corpo e virou campeã fitness

Incomodada com apelidos maldosos, Luana Harb eliminou 6 kg em um mês e chegou a ganhar um campeonato de fisiculturismo

Ana Caroline Mota Publicado terça 4 agosto, 2020

Incomodada com apelidos maldosos, Luana Harb eliminou 6 kg em um mês e chegou a ganhar um campeonato de fisiculturismo
Luana Harb perdeu 14 quilos ao longo de quatro anos - Arquivo Pessoal

Da gordofobia a vencedora de campeonato fisiculturista. Essa é a história de Luana Harb, de 26 anos, que entrou para o mundo fitness há quatro anos, quando resolveu adotar uma vida mais saudável para perder peso e se livrar de comentários preconceituosos.

O estopim para decidir que era hora de mudar de vida foi um apelido especificamente maldoso. "Tinham vários ruins, mas o fato de me chamarem de ‘pança’ causou revolta e me deixou bastante chateada, mas serviu muito de incentivo", lembra a mineira. 

Foi então que Luana procurou acompanhamento médico e começou a praticar exercícios físicos para valer. Eram 60 minutos de aeróbico, de segunda-feira a sábado, aliados a uma dieta de baixo nível calórico e com poucos carboidratos. 

Em entrevista à AnaMaria Digital, ela revela que a rotina a fez perder 6 kg de gordura em apenas um mês. "Aí fui pegando gosto. Tanto que entrei para a faculdade de educação física e comecei a participar de campeonatos de fisiculturismo", conta. 

NO PÓDIO

Luana participou de três competições, ganhando o 1º lugar em um campeonato de fisiculturismo em Uberlândia (MG), e ocupando a 2ª posição em concursos de Goiânia e Itumbiara, ambas em Goiás. “Foi muito bacana, se eu tivesse a oportunidade de novo, acho que faria... É uma sensação muito gostosa subir no palco e ver o resultado do seu trabalho.” 

Para conseguir um corpo mais definido, ela revela que mudou a rotina de treinos e a alimentação, que ficou mais rígida. “Foi bem à risca, com acompanhamento de quatro meses e sem refeição livre. Era basicamente batata doce, frango, whey e vitaminas”, diz. A mineira ressalta, porém, que sempre teve acompanhamento médico para atingir seu objetivo.

Luana Harb antes e depois de resolver adotar um novo estilo de vida (FOTO: Arquivo pessoal) 

FORA DOS CAMPEONATOS

No total, foram 14 kg perdidos ao longo de quatro anos. E sua rota, mais uma vez, passou por uma grande mudança: a mineira deixou a carreira de fisiculturista para se dedicar à maternidade. Agora, ela é mãe de Valentina, de apenas três meses. Por causa da pandemia do novo coronavírus, Luana ainda não conseguiu voltar aos treinamentos rígidos, mas mantém uma rotina saudável com exercícios em casa e seguindo as orientações de um nutricionista. 

“Hoje tenho uma refeição mais livre. Mas por exemplo, café da manhã é banana com granola, o lanche da manhã é uma fruta, o almoço é arroz integral, feijão, salada e carne ou peixe ou frango, à tarde é whey e leite desnatado, o jantar é salada e depois é água de coco”, conta ela, que acredita ter uma alimentação mais saudável. “É mais saborosa também.”  

Atualmente, Luana não busca mais por um corpo de atleta, mas sim por “um corpo de praia”. “Não é mais meu propósito. Minha cabeça mudou demais. Sou outra pessoa”, destaca. Ela ainda presta consultoria com dicas de treinos baseadas na sua formação e em sua experiência, e aconselha. “Eu acho que não podemos dar ouvido às críticas e sim seguir o coração.”

Luana e a filha Valentina, de apenas três meses (FOTO: Arquivo pessoal)

CUIDADOS

Quando o objetivo é perder peso, precisamos tomar cuidados e procurar por orientação médica, assim como fez Luana. A nutricionista Michele Paola Cury, do Hospital INC (Instituto de Neurologia e Cardiologia de Curitiba), explica que a reeducação alimentar deve ser feita sempre de forma individualizada, levando em conta a rotina da pessoa. 

“Tudo deve ser gradativo e assertivo. É o profissional quem vai fazer as escolhas e avaliar a frequência de consultas, além da necessidade do uso de suplementos, que nem sempre é o mais adequado para aquele paciente”, explica. 

A profissional ressalta ainda que dietas restritivas sem acompanhamento podem ser prejudiciais à saúde, já que limitam calorias, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais. Isso pode provocar queda de cabelo, cansaço, dores de cabeça e tontura, entre outros. “Em longa duração, pode haver o desenvolvimento de anemia, osteoporose, alterações no ciclo menstrual, além de transtornos alimentares como bulimia, anemia e compulsão alimentar.”  

Nutricionista Michele Paola Cury ressalta para a importância de acompanhamento médico na reeducação alimentar (FOTO: Pixabay)    

OUTRO PONTO IMPORTANTE

De acordo com Michele, estudos mostram que 95% das pessoas que perdem peso com essas dietas, voltam a engordar e até ficar com mais peso do que tinham antes. Os 5% que não engordam, passam a desenvolver transtornos alimentares. “Dieta com baixo teor de carboidrato pode ser uma alternativa para a perda de peso, mas deve ser equilibrada, sem restringir totalmente ele.”   

Para quem se animou com a história de Luana, a nutricionista dá a dica: fazer um diário com as quantidades e horários das refeições. “Esta é uma boa forma de reconhecer onde você está exagerando”, diz. Feito isso, procure a ajuda de um bom profissional. “Se você adotou uma alimentação saudável, já fez um mais difícil.”
            
 

Último acesso: 19 Apr 2021 - 12:21:45 (1118624).