Pra emagrecer, não vale só contar calorias!

Sete hábitos que fazem parte do dia a dia de quem conseguiu entrar em forma (ou está no caminho!)

quinta 25 agosto, 2016
Pra emagrecer, não vale só contar calorias!
Pra emagrecer, não vale só contar calorias! Foto:Shutterstock
Se você vive às turras com a balança já deve ter perdido a conta dos regimes que começou e das vezes que desistiu da academia. A gente sabe bem como é isso! Mas o livro Nutrição – Muito Além da Alimentação (Matrix Editora, R$ 23,90) traz sete hábitos que devemos adotar de vez se quisermos viver mais, melhor e, por que não, com um corpinho enxuto. Tomar sol e descansar são dois
deles. Nada mal, hein!


1 Fazer um prato bem colorido
Não dá pra fugir – a alimentação conta muito na hora de emagrecer. Mas a questão é mais profunda do que só cortar doces e gorduras. Além de manter a saúde em dia, consumir os nutrientes certos regularmente ajuda a entrar em forma. Sim, pois só um organismo que funciona direitinho consegue queimar calorias. Confira o que não pode ficar de fora do seu cardápio:


CARBOIDRATOS
Responsável por nos fornecer energia, geralmente é tido como vilão da dieta. Mas não é bem assim: se cortarmos radicalmente ele do cardápio teremos problemas, como cansaço, estresse e esquecimento. Assim ninguém aguenta ficar em pé, né? Por outro lado, em excesso pode ser transformado em gordura. Prefira os carboidratos com baixo índice glicêmico, como a batata-doce e os alimentos integrais, e reduza as massas brancas e os doces.


PROTEÍNAS
Podem ser de origem animal ou vegetal. São responsáveis pela formação dos músculos, pele, unhas e cabelo. As principais fontes
são as carnes (prefira as magras), além de ovo, leite e derivados (melhor os desnatados) e leguminosas (soja, feijão, lentilha...).


LIPÍDIOS
São as famosas gorduras. Ao contrário do que muitos pensam, não devemos cortá-las de vez da dieta. O consumo adequado (gordura de qualidade em quantidade moderada) traz benefícios, como um coração mais saudável.

Prefira: carnes magras, como peito de frango e lombo de porco, gema, abacate, castanhas, óleo de coco e azeite extravirgem.

Evite: embutidos, coxa e sobrecoxa de frango, margarina, temperos prontos, pães industrializados, doces e alimentos congelados.


VITAMINAS (A, C, D, E, K e do complexo B)
Deixam o nosso corpo funcionando a mil. Invista em batata-doce, cenoura, manga, couve, espinafre, laranja, mamão, ovo, salmão,
sardinha, castanha-dopará, pistache, fígado, quiabo, lentilha...


MINERAIS (cálcio, ferro, potássio, sódio...)
Também aumentam a imunidade. Consuma brócolis, espinafre, beterraba, leite desnatado, laranja...



2 Beber bastante água
Médicos e nutricionistas aconselham a ingestão de 2 litros de água por dia. Além de dar sensação de saciedade, ela melhora o trânsito intestinal e ajuda a desintoxicar o organismo – isso facilita o processo de emagrecimento! Veja o que mais um copo de água faz por você:

❱❱ Turbina o rendimento no trabalho, em casa e nos esportes.
❱❱ Melhora a saúde do coração e também de todo o sistema vascular.
❱❱ Suaviza as rugas e deixa a pele mais bonita e saudável.
❱❱ Ajuda no processo digestivo, evitando prisão de ventre.
❱❱ Evita dor de cabeça, memória fraca, falta de concentração e atenção.



3 Tomar sol
O sol é a maior fonte de vitamina D, aquela responsável por fortalecer os ossos, proteger o coração e prevenir e controlar o diabetes. Ela ainda ajuda na perda de peso, pois além de acelerar o metabolismo, faz o organismo produzir mais leptina, substância que manda a mensagem de saciedade para o cérebro. Para ter a quantidade de vitamina D necessária, é preciso tomar sol todos os dias, por 15 minutos, até as 10h ou depois das 17h. No inverno, coma alimentos ricos nesse nutriente, como leite e derivados desnatados, ovos, cogumelos, atum, sardinha e salmão.



4 Evitar o estresse
Quando estamos nervosos, nosso apetite aumenta e queremos comer alimentos calóricos, ricos em açúcar e gordura para compensar a ansiedade ou tristeza. Estudos afirmam que isso acontece porque a tensão faz o organismo liberar mais adrenalina
e cortisol, dois hormônios responsáveis pelo ganho de peso. Por isso, é importante que encontremos formas de reduzir e evitar situações estressantes e reações negativas. Que tal tirar um tempo para o lazer, a família e os amigos? Isso vai aumentar sua produtividade e eficiência, além de ajudar, com toda certeza, a reduzir o estresse e a comilança.



5 Respirar fundo
A nossa saúde depende, sim, de como respiramos e da qualidade do ar que entra e sai pelas nossas narinas. Por isso, quem mora em cidade grande, principalmente, deve ter plantas dentro de casa. A respiração correta ainda ajuda a entrar em forma, pois auxilia na quebra da gordura. Além disso, ficamos menos ansiosos e com menos vontade de beliscar a toda hora. A maneira certa de respirar é puxando e soltando o ar pelo nariz. E quando estiver muito tensa, experimente inspirar e expirar devagarinho, contando até dez.



6 Descansar
Dormir é muito mais do que prevenir olheiras, viu? Não existe uma quantidade certa de horas que devemos dormir por dia, depende de cada um, mas se não descansarmos bem e nos horários certos, a nossa vontade de comer alimentos calóricos vai aumentar. E estudos já provaram que quem dorme pouco produz mais cortisol do que deveria. O resultado: mais gordurinhas!



7 Não ficar parada
Além de ajudar a perder peso, a atividade física, qualquer que seja, nos dá prazer, tranquilidade e, ainda, nos mantém saudáveis
durante a velhice. Mas, se você sofre só de pensar em ir à academia, temos uma ótima notícia: bastam 40 minutos de treino quatro
vezes na semana para alcançarmos os benefícios. Converse com seu médico e, juntos, planejem um programa de treinamento para seu corpo e sua saúde ficarem nos trinques!

Veja mais

Júlia Arbex
Leia Mais:

Assine a Revista Digital

Bate Bola na Cozinha

BEM-ESTAR

  1. 1 Estamos na estação do calor, sol, praia e... coceira vaginal
  2. 2 Veja 7 hábitos que ajudam a regular o colesterol
  3. 3 Ansiedade: como lidar quando a mente não relaxa nunca
  4. 4 ''Existe algum alimento capaz de prevenir doenças vasculares?''
  5. 5 Pergunte ao especialista: é perigoso tomar um remédio que já venceu?