AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

13 passos para economizar no mercado

Está tudo muito caro mesmo, mas com jeitinho dá para poupar uma boa grana na hora de fazer as compras

Raquel Maldonado Publicado em 12/08/2015, às 15h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h44

dicas de economia no mercado - Dreamstime
dicas de economia no mercado - Dreamstime
Entra dia, sai dia, a inflação segue no jornal. Você pode até não entender exatamente o que ela quer dizer, mas sabe muito bem que tem a ver com o fato de que há um ano dava pra comprar muito mais do que hoje, com o mesmo dinheiro. O preço dos alimentos subiu 6% no primeiro semestre. Isso significa que se você gastava R$ 100 no mercado em janeiro, agora a conta já está em R$ 106! A grande vilã é a cebola: o valor mais do que dobrou ao longo do ano. Precisamos comer, não tem jeito, mas dá para mudar alguns hábitos de consumo para não entrar no vermelho. Evitar o desperdício, por exemplo, é uma das formas simples e fáceis de economizar seu suado dinheirinho. Veja algumas dicas:

1 Faça uma lista
Antes de sair, ponha no papel o produto que precisa, a quantidade e, se possível, o preço que pagou da última vez. “Vasculhe armários, geladeira, área de serviço, fruteira e congelador para não comprar sem necessidade. E, no mercado, seja fiel à lista”, diz Cintia Senna, da Dsop Educação Financeira, de São Paulo. 


2 Planeje a semana
Vocês vão comer em casa todo dia? Receberão visitas? Planejamento é fundamental para  não comprar mais do que deve e acabar jogando comida fora. Ou então, pegar coisa de menos e precisar voltar ao mercado outras vezes.


3 Coma antes de sair
Já reparou que quando estamos com fome compramos de forma compulsiva? Segundo Cintia, barriga cheia salva seu dinheiro,  já que você não se deixará levar pela fome momentânea, comprando apenas 
o que for mesmo necessário.


4 Deixe as crianças em casa
Quando elas entram no supermercado, costumam sair pedindo tudo o que veem pela frente. Deixá-las em casa pode ajudá-la a não gastar além da conta. Mas o melhor mesmo é mostrar o valor do dinheiro aos pequenos, desde cedo. “Leve seu filho às compras e aproveite para explicar o preço das coisas e a importância de se estabelecer prioridades. Claro que tudo depende da idade da criança, mas a partir dos 3 anos ela já começa a ter uma noção básica do assunto”, afirma.


5 Crie metas
Faça um diagnóstico de seu consumo diário, semanal ou mensal, e estipule metas de gastos. “Não se esqueça de levar a calculadora. Ela ajudará a verificar, em tempo real, quanto você irá desembolsar ao passar pelo caixa, evitando surpresas e auxiliando toda a família a fazer melhores escolhas para o bolso e para o estômago”, alerta a especialista. Deixe 
o chocolate, os salgadinhos e outros supérfluos para o final. Se você ainda estiver no verde, está liberado. Se a meta já foi estourada, eles deverão ficar de fora dessa vez. 


6 Vá direto ao ponto
Como você tem a lista, deixe de rodeios e vá logo atrás dos produtos que precisa. Por mais tentador que seja, evite ficar passeando pelos corredores ou então vai acabar  achando algo mais para levar...


7 Experimente
Tudo bem que você usa por anos os mesmos sabão em pó e farinha de trigo. Mas será que as outras marcas são tão ruins assim? Em época de crise, vale arriscar! Se ao comparar os preços, a diferença for muito grande, experimente. Tem medo de se arrepender? Faça uma pesquisa para saber quais marcas suas amigas e vizinhas estão usando ultimamente. Você pode se surpreender!


8 Compre em quantidade
Se na sua cidade tiver estabelecimentos que vendem por atacado, aproveite! Eles costumam ser a melhor opção. É uma boa juntar familiares ou um grupo de amigas para fazer uma compra coletiva. A conta pode sair ainda mais barata assim. 


9 Compre no dia da promoção
As grandes redes costumam fazer promoções durante a semana. Cada dia tem um tipo de produto em oferta: carnes, hortifrúti, produtos de limpeza, de higiene pessoal... 


10 Desconfie das facilidades
É claro que comprar a mussarela já fatiada na bandejinha é muito melhor. Mas o preço é mais alto também! Nesse caso, pegue a peça e um cortador de queijo para não desperdiçar. Verduras já lavadas, legumes cortadinhos, frango em pedaços... Tudo é mais caro!


11 Cuidado com as “ofertas” 
Sabe aquela história do “leve 3, pague 2”? Então, esse tipo de promoção nem sempre vale a pena. Em primeiro lugar, é preciso fazer uma boa pesquisa de preço para ver se o produto está mesmo mais barato do que antes. E o mais importante: mesmo que esteja, será que você precisa de três unidades do mesmo item? No final, não tem chance de ir tudo pro lixo? Pense bem antes de cair na tentação de colocar tudo no carrinho e acabar perdendo grana.


12 Use a tecnologia a seu favor
A Proteste desenvolveu uma plataforma superprática que pode ajudá-la a descobrir qual supermercado da sua região oferece preços mais em conta. Para fazer a cotação, você pode escolher os tipos de produtos que pretende comprar no dia. O site mostra o estabelecimento mais barato da cidade, além do melhor da região onde você mora. A ferramenta está disponível para 13 estados, além do Distrito Federal. Acesse bit.ly/1J5TRKz


13 Faça em casa
Os produtos de limpeza representam boa parte do que gastamos no mercado. Em época de dinheiro curto, dá pra fazer em casa misturas que substituem materiais caríssimos. Ah, outra dica: se você limpar a casa toda semana, vai precisar usar 
cada vez menos produto!

Desengordurante:

4 xícaras (chá) de vinagre branco + 1 xícara (chá) de bicarbonato de sódio


Limpa-vidros:

1 parte de vinagre + 1 parte de água


Amaciante:

Coloque 100 ml de vinagre branco no último enxague da máquina. As roupas ficarão supermacias!