AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Atitudes para sair do sufoco este ano

Livro traz lições valiosas para dar aquela virada na sua vida financeira. Confira:

Patricia Gebara Publicado em 05/02/2016, às 14h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h44

1003 - shutterstock
1003 - shutterstock
1) Anote todos seus gastos
Para não perder a linha, faça uma planilha de orçamento. Com ela, dá para visualizar com clareza todos os seus ganhos e gastos ao longo do mês. Primeiro, confira os três tipos de despesas: 

As fixas – você tem todo mês e com o mesmo valor, como aluguel ou escola das crianças.

Fixas com valores variáveis  – também ocorrem todos os meses, mas o valor varia, como as contas de água, luz e telefone.

As arbitrárias – são as mais perigosas! É tudo aquilo que não estava planejado e, que de pouquinho em pouquinho, fazem uma enorme diferença, como restaurantes, cabeleireiro, roupas... Para não gastar além da conta, estipule uma quantia mensal para esses extras, saque-a no começo do mês e administre o valor com cuidado. Quando acabar, acabou! 

Ponha na planilha tudo o que vocês ganham no mês (receita) e, depois, posicione os dois tipos de gastos fixos (despesas) no topo.

2) Limpe o armário
Patricia Lages, autora do livro Virada Financeira (mais informações no box abaixo), cita pesquisas que mostram que as mulheres gastam em média a metade do que ganham em roupas, acessórios, sapatos etc. Em tempos de crise, não dá, né? A dica é tirar do armário tudo o que não usa mais, e doar ou fazer um bazar entre as amigas (pode vender ou trocar por outras peças). Com o guarda-roupa menos entulhado, você vai encontrar coisas que nem lembra de ter comprado um dia!

3) Use uma agenda 
Você pode duvidar, mas ter uma rotina organizada não ajuda somente a lembrar dos compromissos. Faz com a gente consiga pensar com mais tranquilidade e encontrar soluções para sair das dívidas. É que a sensação de ter tudo sob controle diminui o estresse e ansiedade. 

4) Não perca o foco do que importa
As maiores vilãs da produtividade, as redes sociais, devem ser controladas. Reserve 15 minutos pela manhã e na hora do almoço e uma hora para usar à noite. Parece pouco, mas pense bem: uma hora e meia por dia soma sete horas e meia por semana e 37 horas e meia por mês (sem contar os fins de semana). É mais do que um dia e meio na frente do computador! Você podia estar trabalhando, pensando em como economizar ou conseguir uma grana extra... 

5) Organize a cozinha 
Despensa e geladeira bem pensadas são aquelas que têm o suficiente, sem sobrar nem faltar. Jogar comida fora não pode (mesmo!) e ir ao supermercado todo dia também é a maior furada. Você sempre compra mais do que devia!  Reaproveitar alimentos também deve ser de lei, hein! 

6) Atitude, menina!
Dá preguiça tomar decisões, sabemos disso, mas elas são necessárias. Já pensou como deixar sua vida nas mãos de outra pessoa é perigoso? Saiba tudo o que acontece com seu dinheiro e não caia em conversa fiada de vendedor, gerente de banco... 

7) Trace objetivos 
Juntar dinheiro já é difícil, imagine só se a gente não tem um objetivo claro do que fazer com ele. Reúna a família e trace metas: uma viagem de férias, a troca do carro, o curso para um filho, enfim! O importante é se planejar e, mês a mês, guardar a quantia estipulada. Com um alvo a ser alcançado, tudo fica mais palpável.   

8) Acredite em você
Saia do piloto automático. No trabalho, torne-se uma funcionária excepcional. Em casa, procure outras formas de otimizar o tempo. A falta de confiança pode ser um grande empecilho para você chegar aonde quer. Arregace as mangas, faça tudo o que já foi dito até agora e tenha mais fé em você mesma! 

9) Comunique-se com seu companheiro 
A principal causa de divórcios é a falta de comunicação. A segunda, é a falta de dinheiro. Em muitas relações, um gasta muito e o outro fica com o papel de controlador. Uma hora, ele desiste de conversar e os dois param de se comunicar. Falar abertamente sobre dinheiro é fundamental para a saúde da relação. Façam a planilha juntos e remem sempre para o mesmo lado.

10) Zele pelo seu nome
Nunca, jamais, em hipótese alguma empreste seu nome a alguém! Pesquisa do SPC descobriu que três em cada dez inadimplentes ficaram com o nome sujo por causa de dívidas que não eram suas. Pense bem: se a pessoa deixou de pagar uma conta uma vez, qual é a garantia de que não fará o mesmo agora? Não caia nessa, pois você corre o risco de perder o dinheiro e também a amizade!  

11) Procure alternativas 
Renda extra é sempre bem-vinda, né? Mas é preciso ter pique! Muita gente diz que não consegue fazer nada além de suas tarefas por causa do cansaço. Tudo bem que o corre, corre é grande, mas que tal pensar um pouco e tentar descobrir um talento ou algo que goste de fazer e que tenha alguém disposto a pagar por isso? O que muitas vezes começa como um “bico” pode ser o que faltava para a grande virada profissional da sua vida.