AnaMaria
Dinheiro / Economia

Controle financeiro: veja dicas infalíveis para não se perder nos gastos

É necessário que todos os gastos e receitas constem nesse controle

Da Redação Publicado em 07/09/2020, às 19h00

O ideal é pensar um ano à frente - StartupStockPhotos/Pixabay
O ideal é pensar um ano à frente - StartupStockPhotos/Pixabay

“Qual a melhor maneira de controlar o meu progresso financeiro? Se puder dar algumas dicas...” P. N., por e-mail.

A sua preocupação é legítima. É fundamental fazer o controle das finanças, ainda que cerca de metade da população brasileira admita não se preocupar com isso. Então, vamos falar sobre o instrumento a ser usado: aplicativo, planilha ou a boa e velha agenda? Aqui não tem certo nem errado. 

O instrumento tem que ser o que se encaixa melhor no seu dia a dia. Se você tem mais afeição à tecnologia, pode usar o aplicativo ou a planilha. Mas, se gosta de anotação em papel, a agenda ou a caderneta também servem. O que não se pode fazer é empurrar com a barriga, não ter disciplina ou fazer conta de cabeça. Em seguida, é importante a clareza do que anotar. É necessário que todos os gastos e receitas constem nesse controle. 

Não deixe nada de fora e separe em grupos. Isso pode ser um pouco maçante, porém é excelente para conseguir ter uma visão geral das suas finanças. Só assim você conseguirá saber o quanto gasta com habitação, lazer, educação... 

Não se esqueça de fazer uma reserva financeira todos os meses. A dica para conseguir é separar um valor previamente definido assim que receber o salário. Dessa forma, você não corre o risco de cair em tentação e gastar aquele dinheiro que parece ter sobrado na conta . É bom também fazer as anotações para o mês em questão e um planejamento para os meses seguintes. 

O ideal é pensar um ano à frente. Assim, você inicia o mês com um “Plano A”, ou seja, com um planejamento para o pagamento das contas básicas, a reserva financeira e os gastos com lazer. E você vai percebendo ao longo do mês se o que foi planejado aconteceu ou se há necessidade de fazer alguma correção de rota. 

Olhar um ano à frente ajuda a ter noção dos gastos sazonais e, principalmente, a se planejar bem. 

MARCELA KAWAUTI aprendeu economia na graduação da Universidade de São Paulo e no mestrado da Fundação Getúlio Vargas, além de ter mais de dez anos de experiência. É economista-chefe do SPC Brasil e colaboradora do portal de Educação Financeira Meu Bolso Feliz.