AnaMaria
Dinheiro / Economia

Faça seu salário valer mais: especialista mostra o caminho para o dinheiro render

Consultora financeira dá dicas para chegar no final do mês tranquilo

Karla Precioso Publicado em 25/12/2020, às 19h00

A pesquisa sempre é válida antes da decisão final - 3D Animation Production Company/Pixabay
A pesquisa sempre é válida antes da decisão final - 3D Animation Production Company/Pixabay

A grana nem entra na sua conta e ‘some’ num piscar de olhos? Talvez você esteja caindo em algumas ciladas do dia a dia. Veja os conselhos de Elaine Toledo, consultora financeira, para reverter o quadro e ficar no azul

POUPAR É PRECISO 
“Guardar só se sobrar.” Essa é a armadilha que mais sabota os planos de ter uma reserva. Para driblar esse hábito, estabeleça, no início de cada mês, um valor a ser poupado e faça o pagamento a si própria, como se fosse o da conta de luz. “O processo se torna mais natural se você traçar um objetivo motivador para empregar o dinheiro – como uma viagem ou a troca do carro, por exemplo”, afirma Elaine.

USE BEM O CARTÃO DE CRÉDITO 
Que o cartão de crédito é uma forma de pagamento que facilita muito a vida, isso já sabemos. Porém, é aí que mora o perigo. Há quem faça compras parceladas uma atrás da outra, sem considerar que isso afeta o saldo no fim do mês. “Portanto, anote os vencimentos e estipule um valor máximo para gastar no cartão mensalmente, subtraindo os gastos que já assumiu”, sugere a especialista.

CUIDADO COM AS ‘PROPOSTAS TENTADORAS’
Você liga para contratar um serviço de internet e a atendente logo rebate com uma proposta para lá de tentadora: pagando um pouquinho a mais você terá também telefone fixo, TV a cabo e internet para o celular. No entanto, a verdade é que você não precisa de TV por assinatura, pois mal fica em casa, e por aí vai... “Tenha em mente que o desnecessário é caro, mesmo que por um tostão. Então, não se deixe iludir”, fala Elaine.

APOSTE EM FONTES DE RENDA EXTRA 
Todo mundo tem habilidades que podem ser exploradas como uma forma de renda extra. Se você sabe costurar, por exemplo, pode fazer consertos para garantir um dinheirinho a mais todo mês. O mesmo vale caso você seja um bom escritor, podendo procurar vagas para produzir conteúdos para blogs e redes sociais, por exemplo. Se você gosta de animais, pode ser pet sitter, cuidando dos bichinhos de vizinhos e conhecidos quando viajam. Vale todas as ideias. O importante é colocar algo em prática!

ATACADO NEM SEMPRE COMPENSA 
Nas redes atacadistas, na maioria das vezes, é possível comprar uma quantidade grande de produtos para ter um abatimento no valor final. Olhando só pelo lado da economia, a medida pode ser vantajosa. Mas requer alguns cuidados: além de avaliar a relação custo-benefício, fique atenta ao prazo de validade especificado na embalagem. Do contrário, você pode levar para casa uma quantidade grande do produto e não conseguir utilizá-la a tempo.

VOCÊ PRECISA MESMO? 
Quem nunca ficou tentada a trocar o celular em perfeito estado por um modelo novo? Eis aqui outra cilada para o dinheiro ir embora sem a real necessidade. “Combata os desejos supérfluos. Antes de ir às compras, reflita se você quer aquele produto ou se precisa de verdade dele”, sugere a especialista. Esse pensamento pode levar a decisões mais centradas e saudáveis para o seu bolso.

ESCOLHA CONSERTAR 
Com a facilidade das compras a prazo e dos descontos à vista, a tendência é adquirir um bem novo em vez de consertar o velho. O defeito do ferro de passar, por exemplo, pode ser simples e o reparo, sair mais barato. A pesquisa sempre é válida antes da decisão final.

ECONOMIZE EM CASA 
Não são só os hábitos relacionados a compras que você deve ponderar. Considere também como é possível economizar com as contas rotineiras da casa. É bom observar se você controla os gastos como água e eletricidade, uma vez que deslizes nessas áreas podem pesar no custo mensal. Algumas atitudes costumam fazer a diferença: 

  • Não deixar torneiras pingando e consertar vazamentos. 
  • Fechar a torneira ao escovar os dentes. 
  • Não deixar luzes acesas desnecessariamente. 
  • Acumular roupa suja para lavar de uma vez só, abrir a geladeira o mínimo possível e por aí vai.