AnaMaria

Tá na hora de negociar sua dívida

Faça o teste e descubra se você está no caminho certo para recuperar seu crédito na praça

Fonte: Site Meu Bolso Feliz, iniciativa do SPC Brasil Publicado em 22/02/2017, às 14h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Teste: descubra se você está no caminho certo para recuperar o crédito na praça - Tiago Gouvea
Teste: descubra se você está no caminho certo para recuperar o crédito na praça - Tiago Gouvea
1 Quando tem uma dívida pendente, você costuma demorar para regularizar a sua situação?

A [ ] Não. Logo que entro nesse cenário vou atrás de uma solução.
B [ ] Às vezes, atraso um pouco mais do que gostaria para acertar o que devo.
C [ ] Sim, demoro. Talvez por isso sempre tenho algum débito pendente.


2 Se está inadimplente, sabe para quem está devendo?

A [ ] Sempre tenho total controle de minhas dívidas.
B [ ] Sei para quem estou devendo, mas nem sempre lembro o valor exato.
C [ ] Não tenho ideia.


3 Qual a origem do déficit que tem atualmente?

A [ ] Cartão de crédito ou cheque especial.
B [ ] Empréstimo pessoal, consignado ou prestações em boleto bancário.
C [ ] Contas de água, luz e telefone.


4 Você sabe o valor inicial e o atual da sua dívida?

A [ ] Claro! O primeiro passo para regularizar a situação é saber quanto devo e a taxa de juros cobrada.
B [ ] Lembro apenas do valor inicial.
C [ ] Só vou atrás dessa informação quando puder quitar a despesa. Não adianta sofrer antecipadamente.


5 Quando está devendo, em que momento considera propício procurar o credor?

A [ ] Imediatamente. Afinal, só com uma possível negociação conseguirei resolver minha situação.
B [ ] Como não gosto de lidar com o credor, primeiro avalio se tenho dinheiro para pagá-lo.
C [ ] Não procuro o credor e não atendo as ligações dele.


6 Como você se prepara para falar com o credor?

A [ ] Avalio todas as minhas possibilidades de pagamento e fico ciente do quanto possuo para negociar.
B [ ] Sou muito sincero em relação à minha real situação e digo a quantia que tenho para negociar.
C [ ] Só vou atrás dele quando acreditar que tenho condições de começar a resolver minha vida.


7 Qual a sua primeira atitude para quitar uma dívida?

A [ ] Vejo o quanto posso pagar, avalio minhas opções e procuro o credor para conversar.
B [ ] Avalio as alternativas dadas pelo credor e, depois, faço uma proposta.
C [ ] Só tomo uma atitude quando sobra um dinheiro extra.


8 Se precisa de ajuda para quitar a despesa, o que faz?

A [ ] Estudo qual o empréstimo é mais interessante, considerando prazo e taxa de juros.
B [ ] Pergunto ao gerente do banco qual a melhor opção e vou na dele.
C [ ] Entro no cheque especial ou pago o valor com o cartão de crédito.


9 Qual o seu plano pessoal para saldar sua dívida?

A [ ] Examino a minha rotina e tento diminuir gastos com compras, além de conversar com a família e pedir a compreensão de todos para começarmos a reduzir os gastos.
B [ ] Peço empréstimo aos familiares.
C [ ] Nenhum. Como não consigo economizar, vou sempre jogar meus débitos mais para frente.


10 Qual seu plano financeiro para pagar sua dívida?

A [ ] Avalio se consigo faturar uma grana com algum trabalho extra. Também penso na possibilidade de vender algum bem.
B [ ] Faço uma análise e descubro quais gastos supérfluos podem ser cortados da minha rotina.
C [ ] Infelizmente, não consigo me controlar nem mudar meu jeito de viver para gastar menos.


11 Durante a negociação, o que você considera mais importante?

A [ ] Decidir se o pagamento será à vista ou a prazo. No segundo caso, o número de parcelas, os juros e o valor final delas, pois devem estar dentro do meu orçamento mensal.
B [ ] Conhecer o valor das parcelas e o prazo para saldá-las.
C [ ] Descobrir se meu nome já está sujo ou quanto tempo eu ainda tenho até ele ser negativado.


12 Você está empregado?
A [ ] Sim, tenho uma renda constante e costumo ser controlado.
B [ ] Sim, mas minha renda varia todo mês e não consigo me planejar.
C [ ] No momento estou sem renda.

13 Você tem controle das suas despesas e gastos mensais?
A [ ] Anoto todos os meus gastos em uma planilha.
B [ ] Costumo gravar tudo na minha memória mesmo.
C [ ] Infelizmente, não. 


14 Se enfrentar um imprevisto (desemprego, doença...), terá dinheiro para manter as despesas atuais?
A [ ] Sim, pois reservo parte do salário pensando nessas situações.
B [ ] Sim. Quando sobra um dinheiro extra, sempre coloco na poupança para evitar transtornos.
C [ ] Não, porque eu gasto tudo o que costumo ganhar.


RESULTADO

Maioria A
Você sairá rápido dessa Embora os problemas financeiros apareçam, sabe exatamente como resolvê-los. Além disso, suas despesas mensais são controladas e você tem conhecimento sobre como agir quando precisa enfrentar uma situação dessa natureza. Mais qualidades? Você respeita os credores, seu nome, sua situação financeira e a importância de possuir uma dívida em aberto. Com
sua organização e disciplina, pode começar a guardar um dinheirinho extra na poupança e, se precisar enfrentar um problema parecido novamente, terá ainda mais facilidade para encará-lo.


Maioria B
Você sairá dessa, só precisa se organizar O caminho que está trilhando é correto, mas não basta se preocupar só quando o seu nome está sujo ou se descobre endividada. O problema é não ter controle total de sua situação financeira e não saber o que fazer quando a dívida aparece. Por isso, você precisa de dicas práticas para organizar sua vida econômica: tenha consciência do quanto deve e entenda como esse valor saiu do seu controle. Além disso, não se envergonhe de conversar com o credor. Ao encarar o problema,
descobrirá sua real condição e negociará melhor o seu débito.


Maioria C
Você precisa mudar radicalmente sua atitude para sair dessa Dívidas em aberto viram uma bola de neve. Quando resolver enfrentar
a questão, o seu problema já será muito maior do que imaginava. Além disso, com o nome negativado, você terá dificuldades em conseguir crédito para fazer compras e até para usar o cartão de crédito. E ninguém quer isso, certo? Portanto, tenha disciplina e organização: levante o valor atual de sua dívida e entenda como ela se desenvolveu. Outro ponto importante é não fugir de uma
conversa séria com o credor. Encare logo o problema e rapidamente você estará livre dessa situação!


Em caso de empate, jogue a resposta pra próxima alternativa. Exemplo: empate entre A e B, vá para B