AnaMaria
Dinheiro / Cuidado!

Veja 7 dicas para não cair em ciladas durante a Black Friday

Fique esperto antes de ir às compras "mais baratas"

Por Ives Ferro Publicado em 22/11/2018, às 07h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Fique esperto antes de ir às compras - Reprodução
Fique esperto antes de ir às compras - Reprodução

A Black Friday está marcada para a próxima sexta-feira (23). Celebrada nos Estados Unidos desde 2001, a promoção surgiu em solo brasileiro apenas no ano de 2010, quando grandes varejistas online aderiram ao “bota-fora” norte-americano.

O termo “Black Friday” vem de meados dos anos 1990, quando era usado para caracterizar a época do ano em que as ruas se tornavam um caos após o feriado americano do Dia de Ação de Graças, quando começa a temporada de compras natalinas.

Em meio às promoções bombásticas, quais dicas e cuidados devemos ter para fazer um consumo consciente, evitando cair na “black fraude”?

AnaMaria conversou com a consultora financeira Júlia Mendonça, que possui um canal no Youtube direcionado ao assunto. 

Além de esclarecer algumas dúvidas, ela explica quais são as três perguntas de ouro que devem guiar nossas compras, entre outras questões. Confira!

1 - Como não cair na enganação dos preços e fazer um consumo consciente?

Uma das dicas mais importantes é conferir antes o valor. Isso porque ficamos empolgados muito fácil com coisas que não precisamos, e que não estavam na lista, apenas porque está com um preço legal. 

Assim, é fundamental, antes da Black Friday, ter anotado tudo o que você quer. Chegando no dia, dá para saber se realmente houve o desconto, ou se aquilo é uma farsa.

2 - Como comprar na Black Friday sem estragar a minha vida financeira?

É preciso saber o quanto você precisa por mês para manter a sua vida nos eixos. Digamos que uma pessoa ganhe R$1200, e tem um gasto fixo mensal de R$800 – incluindo as contas, e dívidas que já existem. Ela tem uma margem de mais ou menos R$400 para gastar sem fazer diferença. 

Além disso, é necessário ter uma ideia de como estarão as contas nos próximos meses, e se aquele dinheiro não fará falta caso você parcele.

3 - Como aproveitar Black Friday mesmo tendo pouco dinheiro?

Direcione bem os seus desejos. Você consegue comprar coisas muito baratas, basta saber o que você realmente precisa. 

Quando me mudei para meu apartamento atual, há uns cinco anos, era outubro. Mesmo na correria, sabia que precisava comprar coisas para a casa. Aproveitei as promoções da Black Friday para isso. 

4 - Qual a melhor opção de compra? À vista ou à prazo?

Se você compra em boleto e não tiver certeza de que o site é verdadeiro, poderá cair num grande golpe, pois o valor não será reembolsado. 

Caso tenha dívida nos próximos meses, é melhor pagar em uma parcela no cartão de crédito, ou então à vista. Reforçando: analise como serão os próximos meses no quesito financeiro antes de sair parcelando. 

5 - É melhor comprar na loja física ou online?

Geralmente, as lojas online conseguem descontos bem melhores. Isso ocorre porque a versão física têm que ter o produto ali, no momento da compra. Isso envolve centro de distribuição, gastos com a loja e estoques gigantescos. Tudo isso vai acabar encarecendo o valor total da compra.

Na Internet, o processo inteiro fica muito mais barato. Tanto que, muitas vezes você consegue 30% de desconto online, e na física são míseros 10%, ou nem isso.

6 - Como comprar com segurança na Internet?

Dê uma olhada nos sites que você costuma comprar, e tome cuidado com os falsos. Na caixa de endereço do site, um ponto extra, ou até mesmo uma letra diferente, podem mostrar se o site é confiável ou enganador.

Em 2013, entrou em vigor uma lei que obriga todas as lojas online a informar CNPJ, endereço, e número de telefone – tudo no site. 

O símbolo do cadeado ao lado do link também confirma a segurança. Verifique estes dados antes de realizar a compra.

7 - Gastei muito na Black Friday e acumulei todas as minhas dívidas. E agora?

Black Friday é bom e ruim, porque como é em novembro, final de ano. Junta com Natal, Ano Novo e férias. Faça programação para tudo, porque os juros são muito altos. 

Se gastou demais, uma opção é tentar vender coisas que não precisa – se for necessário, os próprios produtos que comprou. 

Tente renegociar com a loja que efetuou a compra ou o banco, e corte gastos até conseguir quitar tudo.

Além disso, faça sempre as três perguntas de ouro antes de qualquer compra: eu preciso mesmo disso? Tem que ser agora? Eu tenho como pagar? - Se a resposta de alguma for não, desista!