AnaMaria

Você no azul: Conta gratuita é direito seu!

Todos os bancos são obrigados a oferecer essa opção aos seus clientes

Marcela Kawauti (*) Publicado em 07/03/2016, às 16h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h44

Você no azul: Conta gratuita é direito seu! - Shutterstock
Você no azul: Conta gratuita é direito seu! - Shutterstock
Tenho uma conta e todos os meses o banco me cobra várias tarifas. Mas só uso para receber o salário. Isso está correto?” 

L. L., por e-mail


Existe uma confusão entre a conta salário e a conta corrente comum em que você recebe sua remuneração. A conta salário é aberta por iniciativa do empregador para serem depositados o vencimento dos funcionários. Neste caso, não é permitida a cobrança de tarifas. No entanto, esta é uma conta limitada – não é possível receber depósitos de outras fontes, nem fazer movimentações com cheque. Além disso, o uso de cartão de débito para saque e pagamentos é condicionado ao que foi acordado por contrato.

Agora, se você desfruta de uma conta corrente, aberta por sua própria vontade, e com outros serviços, o banco pode cobrar tarifa. Mesmo que você a use apenas para receber o seu salário, a cobrança pode ser feita de acordo com o que foi combinado no 
momento em que você abriu a conta. Ainda assim, manter uma conta corrente pode fazer uma diferença significativa em seu orçamento. E uma coisa que pouca gente sabe é que há um tipo de conta chamada de “serviços essenciais” que oferece o básico sem custo para o correntista. Ela pode ser bem vantajosa para você, que usa pouco a conta. Os serviços previstos nesta modalidade são quatro saques por mês, dois extratos e até dez folhas de cheque (este último é determinado pela situação de cada cliente).

Todos os bancos são obrigados a oferecer essa opção aos seus clientes. No entanto, muitas vezes eles dificultam o acesso a ela, pois não é interesse deles que você deixe de pagar tarifa, né? Sendo assim, se tiver alguma dificuldade, vale a pena insistir, mesmo que isso inclua reclamações na ouvidoria do banco ou até no Banco Central do Brasil.


De olho no extrato

Tem gente que não acompanha o extrato todo mês, seja por preguiça ou por achar que não é importante. Mas isso é um erro, pois pode haver cobrança injusta ou algum tipo de fraude na conta. Quanto antes você notar, mais fácil será resolver. Outra coisa: quando a gente não acompanha, corre o sério risco de gastar mais do que pode. Sem saber o quanto temos disponível, é muito fácil extrapolar o orçamento.


De grão em grão...

Apesar de muita gente achar que a tarifa bancária não faz diferença porque o valor é relativamente baixo, a nossa leitora está certíssima em questionar. Se você pagar, por exemplo, R$ 25 por mês, terá gasto R$ 1,5 mil após cinco anos. Se colocasse o dinheiro todo mês na poupança, teria mais de R$ 1,7 mil acumulados no período. Viu só como algo bem baratinho pode fazer uma grande diferença no longo prazo?



Marcela Kawauti é formada em economia pela USP e tem mestrado da FGV. Com mais de dez anos de experiência, é economista-chefe do SPC Brasil e colaboradora do portal de Educação Financeira Meu Bolso Feliz.