AnaMaria
Dinheiro / Economia

Você no azul: entenda porquê dinheiro parado desvaloriza rápido

Com a poupança, o problema é parecido

Da Redação Publicado em 30/08/2020, às 08h00

A ideia de mudar para aplicações mais rentáveis é muito bem-vinda - Nattanan Kanchanaprat/Pixabay
A ideia de mudar para aplicações mais rentáveis é muito bem-vinda - Nattanan Kanchanaprat/Pixabay

“Estou com uma grana parada em conta corrente e um pouco em poupança. Quais investimentos com liquidez rápida você sugere?” R. S., por e-mail. 

Dinheiro parado desvaloriza por conta da inflação. Além disso, com isso, você deixa de ganhar com bons investimentos. Com a poupança, o problema é parecido. Apesar do dinheiro ter alguma correção, ela é menor do que a inflação. 

Sendo assim, a ideia de mudar para aplicações mais rentáveis é muito bem-vinda. Os investimentos que têm segurança e liquidez são, em linhas gerais, o Tesouro Selic, bons fundos de investimentos em renda fixa e CDBs com liquidez diária. 

Vale lembrar, no entanto, que investimentos com liquidez em geral têm rendimento mais baixo do que aqueles em que você pode deixar a reserva por um prazo mais longo. Mas, se a intenção é deixar uma reserva financeira para um imprevisto, não tem muito jeito. Você deve focar em preservar o seu poder de compra. 

O papel Tesouro Selic do Tesouro Direto é uma ótima opção. Ele rende a taxa Selic, a taxa básica de juros da economia, que atualmente está um pouco maior do que a inflação. E tem a vantagem de ser um investimento seguro. 

Bons fundos de investimento de renda fixa atrelados ao CDI também são interessantes. Porém, cheque a taxa de administração antes de optar por essa modalidade (a taxa de administração não pode passar dos 0,3% para que valha a pena). 

Por fim, há os CDBs - modalidade em que você empresta dinheiro ao banco. Em geral, os CDBs de bancos menores são mais vantajosos porque rendem a partir de 100% da taxa. 

Lembre-se de optar por CDBs com liquidez diária ou seja, aqueles que te permitem sacar o seu dinheiro a qualquer momento. Cheque se, além do valor para imprevistos, você pode aplicar um valor para longo prazo para conseguir rendimentos mais vantajosos.

MARCELA KAWAUTI aprendeu economia na graduação da Universidade de São Paulo e no mestrado da Fundação Getúlio Vargas, além de ter mais de dez anos de experiência. É economista-chefe do SPC Brasil e colaboradora do portal de Educação Financeira Meu Bolso Feliz.