AnaMaria
Dinheiro / Futuro

Você no azul: programe bem a compra da casa própria

Quanto mais o dinheiro render e mais guardar, maior poderá ser o valor do imóvel

Da Redação Publicado em 08/03/2020, às 14h00

Optar por investimentos menos voláteis e que proporcionem menor risco de perda é a melhor opção - Banco de Imagem/Getty Images
Optar por investimentos menos voláteis e que proporcionem menor risco de perda é a melhor opção - Banco de Imagem/Getty Images

“Quero comprar a casa própria. Qual o melhor investimento para acumular dinheiro? Eu consigo poupar R$ 1.200 por mês...” W. M., por e-mail. 

O planejamento e a disciplina são fundamentais para realizar um sonho de consumo, como a compra da casa própria. Mas investir com conhecimento também é importante para tirar o melhor proveito do valor que você está se propondo a reservar. 

Você já sabe quanto poderá guardar por mês. Agora, é preciso estipular o valor do imóvel que deseja. Com essas duas informações, dá para ter uma ideia de quanto tempo levará para conquistar seu sonho. Porém, a conta deve considerar o ganho dos juros. 

Quanto mais o dinheiro render e mais guardar, mais rápido chegará lá. Também é possível estabelecer um prazo para a conquista do sonho, em vez de estabelecer o valor do imóvel. Digamos que você queira comprar o imóvel daqui a dez anos. 

Ao final desse período, você poderá comprar um imóvel com o montante que tiver acumulado. Qual será o valor do imóvel? Isso também vai depender da rentabilidade e da sua disciplina. 

Quanto mais o dinheiro render e mais guardar, maior poderá ser o valor do imóvel. Optar por investimentos menos voláteis e que proporcionem menor risco de perda é a melhor opção. Isso porque investimentos em ações ou moedas estrangeiras, por exemplo, podem gerar perdas significativas. 

O Tesouro Direto é uma boa pedida. Outra opção é aplicar em CDBs. Por fim, é sempre importante manter uma reserva destinada a imprevistos. Se você aplicar todo o dinheiro no imóvel, pode acabar se endividando caso tenha algum imprevisto no caminho. 

Mesmo que tenha uma quantia investida, se tiver que mexer nela toda vez que houver algum imprevisto, além de correr o risco de perder dinheiro, você também precisará adiar o prazo estabelecido no início. Fique atenta a isso.

MARCELA KAWAUTI aprendeu economia na graduação da Universidade de São Paulo e no mestrado da Fundação Getúlio Vargas, além de ter mais de dez anos de experiência. É economista-chefe do SPC Brasil e colaboradora do portal de Educação Financeira Meu Bolso Feliz.