AnaMaria
Família/Filhos / Família

7 dicas para estimular a independência das crianças

Engajar a criança a participar da vida doméstica estimula a independência

Júlia Arbex Publicado em 20/04/2019, às 15h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h47

Estimule a independência - Shutterstock
Estimule a independência - Shutterstock

Os pequenos conseguem aprender muitas coisas só observando o comportamento dos colegas, dos pais e dos irmãos. Mas, além disso, eles precisam de vários estímulos para desenvolver as habilidades necessárias para sua autonomia.

HORA DA COMIDA
“Deixar a criança comer com as mãos no início pode ser muito bom, pois irá incentivar a coordenação motora, assim como o tato. A partir de um ano, é possível introduzir a colher e o garfo. Espera-se que por volta dos quatro anos o pequeno já seja capaz de se alimentar sozinha”, afirma Marli Kondo, fonoaudióloga e psicopedagoga da
Clínica Walkíria Brunetti (SP).

BANHO É MUITO BOM
Já o banho é uma atividade que necessita de supervisão por mais tempo. Para as crianças que tomam banho na banheira, a principal razão é prevenir afogamentos e escorregões. Além disso, lavar a cabeça e todo o resto são aprendizados que demoram mais tempo. “O ideal é que em torno dos 6 anos a criança consiga fazer a higiene sozinha, mas ainda com a supervisão de um responsável.”

DENTINHOS LIMPOS
A higiene bucal deve começar ainda no primeiro ano de vida. Entretanto, escovar os dentes é uma atividade mais complexa. A autonomia total na higiene oral só ocorre por volta dos 7 anos em diante.

UMA MÃO LAVA A OUTRA
Esse aprendizado pode e deve ser feito por volta dos 12 meses. Aos 2 anos, espera-se que a criança já saiba lavar e secar as mãos sozinha.

DESFRALDE
O desfralde deve ser iniciado por volta dos 2 anos e meio. Espera-se que por volta dos 4 anos a criança já tenha desfraldado, tanto da urina, quanto das fezes. “Até por volta dos 7 anos, os pais precisam ajudar ou ainda supervisionar os pequenos a fazer a higiene correta na hora de usar o banheiro. Crianças com 4 anos completos, que ainda não conseguiram desfraldar, devem ser avaliadas por um especialista”, diz a especialista.

TAREFAS DOMÉSTICAS
“Engajar a criança a participar da vida doméstica, lavando a louça, regando as plantas e ajudando a colocar a mesa para o jantar, estimula a independência e contribui para que se sinta parte da família. Além disso, a participação nas tarefas domésticas ajuda no aprendizado do valor da responsabilidade, do trabalho em equipe, da colaboração e da importância da organização”, finaliza.

QUAL É O PAPEL DOS HORMÔNIOS?
O hormônio mais importante nessa fase é o sexual e ele, por si só, não justifica os comportamentos típicos de um pré-adolescente, como
se acreditava até pouco tempo atrás.

Pesquisas atuais comprovam que a relação entre os níveis hormonais e as mudanças de comportamento são quase inexistentes. E isso significa que um jovem pode alterar seu modo de agir por conta de baixa autoestima e da influência dos amigos típica dessa fase, mas não pelas mudanças químicas que estão ocorrendo em seu organismo.