Família/Filhos Cão cidadão

Cachorros: Entenda os diferentes tipos de agressividade nos animais

Problema está entre os distúrbios comportamentais mais relevantes dos pets

sexta 26 outubro, 2018
O principal é saber que para tratar esse problema é preciso conhecê-lo melhor
O principal é saber que para tratar esse problema é preciso conhecê-lo melhor Foto:iStock

Apesar de os sinais clínicos da agressividade serem quase sempre os mesmos – rosnar, mostrar os dentes e até mesmo morder –, podemos dizer que há diversos “gatilhos” que fazem com que esse comportamento se manifeste em diferentes situações.

A zootecnista Marcela Barbieri Boro, que é adestradora do Cão Cidadão, diz que a principal dica para tratar esse problema é conhecê-lo melhor. Dessa forma, podemos dividir os tipos de agressividade em quatro categorias, que ajudarão o tutor a entender um pouco como ela age no cão. São elas:

Notícias Relacionadas

TERRITORIAL
Neste tipo de agressividade, como o próprio nome diz, o cão sente a necessidade de defender o seu território de outro indivíduo, principalmente de outro cão com quem ele ainda não convive. Esse comportamento, normalmente, não se manifesta em um território neutro.

POSSESSIVA
Já nesta agressividade, o animal associa as pessoas e/ou outros cães com perdas. Isso faz com que a relação dele com determinados objetos ou pessoas não seja saudável, ou seja, ele não aceita dividi-los.

DOMINÂNCIA
Nesta agressividade, muitas vezes o cão não consegue identificar um líder dentro de casa e, com isso, sente a necessidade de assumir o papel de liderança, trazendo consigo uma série de problemas comportamentais. Os rosnados e as mordidas geralmente acontecem quando ele é contrariado.

MEDO
Por fim, a agressividade por medo está relacionada com a sensação de vulnerabilidade, quando o animal entende que precisa agir com o instinto de sobrevivência para sair de determinada situação que provavelmente lhe causaria dor. Vale frisar que as categorias para esse distúrbio podem se apresentar isoladas ou associadas em um único cãozinho. E que por se tratar de um comportamento perigoso, é aconselhável contar com a ajuda de um adestrador profissional para a realização de um protocolo ideal de adestramento.
 

Da Redação
Leia Mais:

Receba em Casa

Vídeos

BEM-ESTAR

  1. 1 Como evitar as doenças de pele mais comuns do verão e curtir a estação
  2. 2 Dor de ouvido, não! Veja 5 dicas para evitar otites no verão
  3. 3 Padre Marcelo dá dicas para você ter um 2019 abençoado
  4. 4 Luiza Brunet mostra mamografia; veja 7 mudanças no corpo que pedem exame
  5. 5 Faça você mesma: veja massagem que ajuda a desinchar as pernas e a barriga