AnaMaria

Cinema de mamães (com bebê juntinho)

Conheça o CineMaterna, projeto que permite que mães de recém-nascidos vão ao cinema sem culpa. Porque todo mundo merece se divertir, não é?

Luciana Bugni Publicado em 09/11/2017, às 16h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Cinema de mamães (com bebê juntinho) - Divulgação
Cinema de mamães (com bebê juntinho) - Divulgação

"Cinema? Nem lembro o último filme que vi.” Você já deve ter escutado alguma amiga com filhos dizer essa frase. Parece que a mulher grávida precisa se despedir do cinema por tempo indeterminado. Também, como fazer um programa tranquilo com um bebê que chora, que mama, que precisa ser trocado? Há nove anos existe no Brasil uma solução para a questão. O CineMaterna são sessões de cinema organizadas por um grupo de voluntárias, para que a mulher com bebê de até 1 ano e meio possa ver filmes tranquila. “O pós-parto é sempre um momento delicado e sair de casa pode ser um desafio. E é nessa fase da vida, em que a mulher está muito dedicada ao filho, mas também muito carente de diversão, que o CineMaterna tira essa mãe de casa e a leva para o cinema, mas sempre junto de seu bebê, que muitas vezes ainda mama e precisa de sua companhia. Promovemos o retorno dessas mulheres à vida social, proporcionando entretenimento e cultura. No cinema, elas desfrutam de um momento de alegria e relaxamento”, conta Irene Nagashima, uma das fundadoras da iniciativa. Nas sessões, tudo é preparado para que as mães e bebês fiquem à vontade durante a exibição do filme. Chorou? Tudo bem. Precisa mamar? Tudo bem. Quer levantar e andar pela sala? Tudo bem também. Essas atitudes impensáveis em uma sala de cinema comum são muito naturais ali. Além disso, o som é mais baixo do que o normal, o ar-condicionado um pouco mais fraco e há uma iluminação leve, o que facilita se precisar pegar algo na bolsa, por exemplo. E mais: ainda tem trocadores com fraldas, pomadas e lenços umedecidos gratuitos e um tapete emborrachado para os bebês que já andam ou engatinham brincarem mais à vontade. “O compromisso do CineMaterna é promover o resgate social das mães por meio da cultura. Queremos ajudar essas mulheres a tirar o pijama e a se aventurar para além do consultório do pediatra. Que elas descubram que o mundo continua igual lá fora e elas podem fazer parte dele com o seu bebê”, enfatiza Taís Viana, outra fundadora do CineMaterna.

É legal ver outras mães na mesma situação que você!

“Imagine uma sala de cinema vazia e tranquila num dia de semana à tarde. Na porta, várias voluntárias se oferecendo para ajudá-la a carregar a bolsa. Sorrindo para você. Desejando que você se divirta. Tem cenário melhor? Testei o CineMaterna com meu filho de 5 meses e ele
colaborou bem. Dormiu cinco minutos antes de eu chegar à sala de cinema e só acordou no meio do filme. Deu uma choradinha nessa hora, mas era para mamar e ficou logo tranquilo. Depois, virou de frente para a tela e ficou brincando com minha mão. Na sala, dá para ouvir uma
sinfonia de chorinhos: às vezes solitários, às vezes em coro. Mas nada que atrapalhe a diversão. Se o bebê chorou, a mãe levanta com ele, dá uma andada pela sala e ele se acalma rapidamente. O que achei mais legal foi ver tantas mães na mesma situação que eu, com bebês pequenos que dão trabalho, encontrando um tempo para si. Quando cheguei à praça de alimentação do shopping já senti que tinha muitos carrinhos de bebês. E as mães sorriam umas para as outras – isso é uma delícia quando o que você mais tem visto são fraldas e bebês chorando. E, claro, o filme. Consegui ver inteirinho, sem nenhum sobressalto. Quando senti que ele estava enjoando da situação, levantei com ele e dei uns passinhos para embalá-lo. Ele logo se distraiu com alguma coisa e permitiu que eu terminasse o filme na boa”.
Luciana Bugni, editora

Ficou com vontade? Você pode escolher o filme que quer ver em enquetes no site do projeto! (Associação CineMaterna www.cinematerna.org.br)