familiafilhos   / Exercícios

Crianças na musculação? Saiba qual a idade ideal para começar a malhar

Saiba qual a idade ideal para deixar as crianças praticarem musculação

Lígia Menezes Publicado sábado 15 fevereiro, 2020

Saiba qual a idade ideal para deixar as crianças praticarem musculação
Os pais devem pensar sobre qual a real necessidade de introduzir a musculação na rotina infantil - Banco de Imagem/Getty Images

Um fato: praticar atividade física é fundamental para crianças e adolescentes. Natação, futebol, vôlei, balé, dança... 

Todas essas modalidades trabalham a musculatura dos pequenos e jovens utilizando o peso do próprio corpo ou, no máximo, um acessório auxiliar para alongamento. Porém, para ajudar no fortalecimento muscular, muitos pais apelam para a musculação. Isso é saudável? 

Segundo especialistas alemães do Institute of Training Science and Sports Informatics, que publicaram um estudo sobre o assunto na revista Pediatrics, treinos de força em crianças e adolescentes podem trazer benefícios e até estimular o crescimento e fortalecimento ósseo. 

Porém, é preciso que sejam aplicados de maneira lúdica e bem orientados, evitando lesões. Ou seja, nada de deixá-los circular livremente em uma academia de musculação. 

“Este é um ambiente inseguro, principalmente para os mais novos que não têm um profissional especializado nessa faixa etária”, avisa a educadora física e nutricionista Kelly Kathryn C. de Oliveira, da Clínica Copacabana, no Rio de Janeiro. 

E ela tira mais dúvidas sobre o assunto.

A IDADE IDEAL PARA COMEÇAR 
Faltam estudos que demonstrem uma idade exata para dar início à musculação. Mas a partir do momento em que a criança começar a praticar esporte, como judô e natação, ela já utiliza o próprio peso corporal para fortalecer a musculatura. 

Com 10, 11 anos, já pode usar um pouco mais de carga, mas de forma progressiva e com orientação do profissional, sempre. “Isso desde que ela não tenha dores ou processos inflamatórios, como edemas na musculatura”, orienta a ortopedista e traumatologista do esporte, vice-presidente da Sociedade Paulista de Medicina Esportiva, Ana Paula Simões.

ANTES DE MALHAR, EXAMES! 
A criança deve ser submetida a um check-up médico cardiovascular e pediátrico antes de ser liberada para malhar. “Na lista de exames, podem constar testes de sangue, eletrocardiograma, raio X e outros, determinados conforme a necessidade de cada criança e histórico familiar”, explica Ana Paula.

RESTRIÇÕES 
“A criança e o adolescente não têm as articulações desenvolvidas para altas cargas. Por isso, é recomendado que comecem sem cargas”, sugere Kelly. O profissional que precisa fazer uma programação desse fortalecimento, para aumentar o peso bem devagar, conforme resistência de cada pessoa. Outra restrição: suplementos, como shakes de proteínas. “Por ser algo muito específico e individualizado, deve ser feito sempre com orientação de um nutricionista”, avisa.

VANTAGENS 
Segundo a Associação Nacional de Força e Condicionamento (NSCA, em inglês), o treino de força fortalece a massa óssea dos pequenos, além de estimular o crescimento e espessura do osso. Outras vantagens: 

  • Aumenta a concentração. 
  • Melhora o desenvolvimento corporal e o equilíbrio. 
  • Evita obesidade e hipertensão. 
  • Fortalece a autoestima. 
  • Contribui para o bom funcionamento do sistema cardiovascular.

PARA REFLETIR 
Os pais devem pensar sobre qual a real necessidade de introduzir a musculação na rotina infantil. “A criança precisa brincar, ser feliz. E a escolha do esporte precisa ser natural. Por que forçar um fortalecimento tão cedo?”, questiona Ana Paula. 

“Atividade para os pequenos precisa ser lúdica, divertida e com fins de desenvolvimento psicomotores e sociais. Ensinar a criança a ter regras, a sentir a sensação de derrota e vitória. Se a musculação tiver apenas um objetivo físico ou estético, melhor esperar mais uns anos”, completa Kelly.

SEU FILHO QUER COMEÇAR A MALHAR?
A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda os seguintes cuidados: 

  • Passe por uma consulta médica antes – e periodicamente após o início dos treinos – para verificar como está o desenvolvimento dele. Crescimento inadequado pode indicar treinamento excessivo. 
  • Nada de frequentar academia sozinho. Seu filho precisa estar acompanhado de um instrutor preparado para lidar com crianças e adolescentes, que supervisione e passe treinos adequados para a idade.
  • “A suplementação com fórmulas só deve ser indicada em casos específicos, como de atletas mirins de alta performance. No geral, para crianças e adolescentes, a suplementação é feita apenas pela alimentação”, avisa Kelly.

Último acesso: 10 May 2021 - 18:49:03 (1099152).