AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

“Deixe sua irmã estudar em paz, por favor!”

Briguinhas e desentendimentos acontecem a toda hora, mas a coisa complica mesmo quando as pirraças começam a atrapalhar a lição de casa

Karina Fusco Publicado em 09/12/2015, às 10h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h44

996 - shutterstock
996 - shutterstock
Acompanhar a rotina escolar dos filhos traz muitos benefícios a eles e também fortalece os vínculos familiares. Mas quem tem mais de uma criança em casa sabe muito bem que não é fácil dar atenção a quem está fazendo o dever de casa, sendo que o outro está empenhado em atrapalhar e chamar a atenção. Aí vem o dilema: sair de lá com a criança que está causando para que a outra possa fazer a tarefa sossegada, porém, sem ajuda, ou ficar ao lado de quem está se dedicando ao estudo, mesmo que o outro continue perturbando?
Segundo as especialistas ouvidas por AnaMaria, geralmente é o irmão mais novo que incomoda o mais velho, mas os pré-adolescentes também podem ter esse tipo de comportamento com o objetivo de serem o centro das atenções. Confira, a seguir, recomendações para driblar as picuinhas e deixar a hora do dever de casa mais agradável para todo mundo.

O centro das atenções

Ciúme e rivalidade são alguns dos motivos que fazem um irmão perturbar o outro. Essas briguinhas acontecem mesmo e começam 
sem precisar de motivo! Mas quando se trata de atrapalhar a lição a coisa piora, afinal estudo é coisa séria e o ambiente deve ser calmo e silencioso. 
Segundo Ester Cecília Fernandes Baptistella, coordenadora do núcleo de atendimento psicopedagógico da Universidade São Francisco, em São Paulo, os menores são os que mais agitam. “Eles têm mais dificuldade para compreender a necessidade de o irmão estudar ou fazer uma tarefa que não podem participar”, afirma. Entretanto, a psicopedagoga Renata Yamasaki, de São Paulo, revela que esse comportamento não é exclusivo dos pequeninos. Os pré-adolescentes provocam os menores, atrapalham, fazem brincadeiras, tudo para ficar no foco”, afirma a especialista.
No caso dos mais velhos, isso ocorre normalmente quando percebem que os pais favorecem o outro de alguma forma. “Com o passar dos anos, isso tende a acabar e eles assumem um papel de cuidador”, diz Renata.Para Ester, os pais devem conversar com os filhos e estabelecer regras para garantir que a hora de estudo não seja prejudicada. 

O que eu quero? É sossego!
  • Fale sobre regras. Diga que elas surgem a partir de uma necessidade e que servem para resolver problemas.
  • Ao formular as normas, ouça o que seus filhos têm a dizer e aceite as ideias deles. 
  • Cobre sempre que o combinado seja cumprido. 
  • Fale com firmeza, mas seja gentil. Em vez de ameaçar quem está atrapalhando, dê uma opção do que fazer.
  • Demonstre interesse pelos estudos de todos os filhos, igualmente.
  • Defina horários para a lição, assim como para o repouso e o divertimento.
  • Se possível, coloque os dois pra estudar ao mesmo tempo. Se um deles ainda não tiver lição de casa, ponha-o  para desenhar. 
  • Acompanhe a tarefa e ajude só quando pedirem. 
  • Se o irmão for bebê, tente estabelecer a hora do dever quando ele estiver dormindo ou quando alguém possa cuidá-lo.
  • Explique para o mais novo que o irmão precisa de mais atenção naquele momento, pois tem mais responsabilidades de estudo. Diga que quando chegar a hora dele, você também irá ajudá-lo.
  • Trate de valorizar o esforço de todos, mostrando os bons resultados quando um não atrapalha o outro.
  • Evite fazer comparações entre eles. Isso ativa o ciúme.

Ambiente nota 10
  • Ponha-os para estudar, de preferência, sempre no mesmo lugar e horário, para criar uma rotina. 
  • O local deve ser tranquilo, sem televisão, música, som de brinquedos ou celular tocando. Certifique-se de que o ambiente seja arejado e claro, preferencialmente com luz natural.
  • Determine que as lições sejam feitas numa escrivaninha ou na mesa. Nada de estudar na cama ou no sofá!