AnaMaria
Família/Filhos / Economia

Existe idade mínima para começar a educar os filhos financeiramente?

Pesquisar os preços em pequenos comércios de bairro é uma saída

Da Redação Publicado em 19/12/2020, às 14h30

Em datas comemorativas, estipule quanto a criança pode gastar com um presente - Chuck Underwood/Pixabay
Em datas comemorativas, estipule quanto a criança pode gastar com um presente - Chuck Underwood/Pixabay

“Meu filho tem 7 anos e eu gostaria de começar a falar com ele sobre educação financeira. Posso?” M. S., por e-mail 

Aprender a lidar com o dinheiro é uma atividade que deve começar cedo. A partir dos 3 anos, já é possível inserir no cotidiano das crianças noções básicas de finanças, o valor real do dinheiro e a diferença entre querer e poder. 

As atividades podem ser lúdicas e recreativas, por meio de músicas, livros ou outras coisas que estimulem a imaginação, mas sempre trazendo para os pequenos um senso de realidade, de como a nossa relação com o dinheiro deve ser. É importante mostrar de onde vem o dinheiro da família, que ele é fruto de muito esforço, trabalho e, por isso, deve ser economizado e gasto com bastante sabedoria e cautela. 

Muitos pais, por exemplo, evitam levar as crianças às compras, porém esse é um momento importante e que, se partilhado, pode ser muito bem aproveitado. Durante as compras, é possível explicar a eles o custo daquele brinquedo com temática do personagem infantil favorito em relação ao preço de outros itens, que não levam esse tipo de bandeira de personagem. 

Em datas comemorativas, estipular quanto a criança pode gastar com um presente e incentivá-la a economizar, também é uma dica importante e que ainda estimula o consumo consciente. Ao desistir de gastar todo o dinheiro que se tem em um único item e substituí-lo por um mais em conta, a criança percebe que, com o restante, poderá realizar outra atividade, comprar outro produto ou ainda poupar e realizar algum sonho a longo prazo. 

Mais uma sugestão é até mesmo realizar a fabricação de um brinquedo em casa, um momento em família. Pesquisar os preços em pequenos comércios de bairro é mais uma saída, e ainda estimula a economia colaborativa. Com uma boa educação financeira, com certeza, seu filho terá uma vida mais tranquila.

LUCIANA IKEDO (@lucianaikedo) é assessora de investimentos com certificação CFP®, MBA Internacional pela FGV, com extensão na Ohio University (EUA) e em Finanças pelo Ibemec/Insper.