AnaMaria
Família/Filhos / Compras

''Mãe, compra pra mim?'': especialista ensina como resistir aos pedidos dos filhos

Especialista ensina como resistir aos pedidos dos pequenos na hora das compras

Ana Bardella Publicado em 04/08/2019, às 17h00 - Atualizado em 18/08/2019, às 10h56

Sempre que pedirem por um item considerado supérfluo, explique que aquilo não cabe no orçamento da família - Banco de Imagem/iStock
Sempre que pedirem por um item considerado supérfluo, explique que aquilo não cabe no orçamento da família - Banco de Imagem/iStock

Se você evita levar as crianças ao supermercado por medo de escutar a essa pergunta, saiba: é possível (e saudável) incluí-las na rotina de compras dos mantimentos. Como fazer isso sem se estressar? Descubra!

PREPARE A LISTA DE COMPRAS JUNTO COM AS CRIANÇAS
Organize com antecedência o que será adquirido e com que finalidade. Permita que elas interajam na conversa e deem seus palpites. “Assim se sentirão parte do processo”, indica Cláudia Hara Hashimoto, coordenadora do Ensino Fundamental do Colégio Marista Maringá (PR).

ESTABELEÇA COMBINADOS
“É a melhor tática para evitar os pedidos de última hora”, ensina Cláudia. Deixe claro desde o início o que pode ou não ser comprado e as razões. E, quando estiver entre as prateleiras, busque não fugir da lista preestabelecida ou as próprias crianças podem fazer questionamentos. Dê o exemplo!

ENSINE A ESCOLHER FRUTAS E LEGUMES 
Permita que elas sintam a textura e o cheiro dos alimentos. Essa é uma boa tática para despertar o apetite quando estiverem em casa. “Ao servir um prato, enfatize que foi preparado com o ingrediente que a criança ajudou a selecionar”, aconselha. Isso pode estimular o interesse pelas comidas saudáveis!

OPORTUNIDADE PARA FALAR SOBRE DINHEIRO
“Foi-se o tempo em que a conversa sobre finanças era coisa de adulto. Quanto antes os pequenos souberem lidar e desenvolver uma boa relação com o dinheiro, mais responsáveis e conscientes serão no futuro”, defende a profissional. 

Por isso, sempre que pedirem por um item considerado supérfluo, explique que aquilo não cabe no orçamento da família.

ATRIBUA TAREFAS
“Os mais novos, que ainda não sabem ler, podem ficar responsáveis por organizar as compras no carrinho com ajuda dos pais, por exemplo”, indica. Dar uma cesta com itens leves para a criança segurar também é uma forma de incluí-las na atividade. Já os mais velhos podem avaliar rótulos, datas de validade e até o custo-benefício do produto – ou seja, se realmente vale a pena gastar dinheiro com determinados itens.

GUARDAR COMPRAS EM CASA
Peça a ajuda dos filhos para colocar os produtos nos locais adequados. Além disso, escute as sugestões de onde eles acreditam que as mercadorias ficariam mais bem armazenadas para facilitar a dinâmica da casa. “Assim, eles entendem a importância da organização no cotidiano”, finaliza Cláudia.