AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Orientação sexual não é escolha nem opção

A adolescência é uma fase de experimentação, inclusive afetivas e sexuais

Redação Publicado em 08/03/2016, às 10h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h44

Orientação sexual não é escolha nem opção - Shutterstock
Orientação sexual não é escolha nem opção - Shutterstock
“Meu filho adolescente já beijou meninos e meninas. E agora, o que eu faço?”


A sexualidade humana é bastante complexa. Há o sexo biológico, ou seja, o homem nasce com pênis e a mulher, com vagina. Mas tem também a identidade de gênero, que é a maneira como alguém se sente e se apresenta para as outras pessoas. E existe, ainda, a orientação sexual, que não é uma escolha nem opção, mas diz respeito à atração que o indivíduo sente pelos outros. A adolescência é uma fase de experimentação, inclusive afetivas e sexuais. Então, se seu filho já ficou com meninos, pode significar que ele é bissexual, homossexual e até mesmo heterossexual, que só teve vontade naquela vez e não vai fazer de novo. O ideal é conversar para tentar entender o lado dele e não julgá-lo ou rotulá-lo por conta disso. Você não precisa concordar com a orientação sexual dele, mas não é isso que vai mudar seu caráter. O importante é respeitá-lo.


Fonte: Cátia Rodrigues, psicóloga e pesquisadora da PUC-SP