AnaMaria

Pergunte ao especialista: ''Como apresentar um cão a um gato?''

Profissional explica jeito para que os animais conviverem bem

Da Redação Publicado em 06/04/2019, às 15h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Faça a apresentação em um ambiente controlado e seguro - Banco de Imagem/Shutterstock
Faça a apresentação em um ambiente controlado e seguro - Banco de Imagem/Shutterstock

Cão e gato são espécies com personalidades distintas. Os cães costumam ser agitados e eufóricos na hora de conhecer outro bichinho, já os gatos tendem a ser cautelosos e desconfiados. Assim, para que a convivência seja saudável, tome alguns cuidados na hora da apresentação. 

Primeiro, pense no local. Faça a apresentação em um ambiente controlado e seguro. Lembre-se sempre de que os gatos são ágeis e procuram um ponto de fuga, portanto, feche as janelas antes de iniciar. Mesmo que você já more com um dos pets e conheça a sua personalidade, invista em segurança para ambas as partes. 

Como é uma situação nova, comportamentos imprevisíveis podem acontecer. Coloque o cãozinho na guia e o gato em uma caixinha de transporte. Inicie a apresentação a uma distância onde nenhum dos dois se sinta ameaçado ou desconfortável. Inicie a aproximação aos poucos e procure associar positivamente a presença deles com algo gostoso, como petiscos e sachês. 

Cuidado com as brincadeiras nesse primeiro momento, pois podem despertar comportamentos de caça e perseguição. O sucesso da convivência costuma demorar a acontecer. Então, contenha a ansiedade e jamais force a situação. 

Sempre finalize o treino antes que as coisas saiam do controle. Treinos curtinhos, que começam e terminam de forma positiva para ambos, é o segredo para que eles se entusiasmem para um novo encontro. Com o avanço dos treinos, provavelmente acontecerão situações de liberdade, mas continue supervisionando a interação dos pets.

A casa deve ser adaptada, de modo que o gato tenha uma opção de fuga (prateleiras e esconderijos). Vale lançar mão também de feromônios que dão sensação de bem-estar e minimizam o estresse. Caso algum deles demonstre uma reação anormal e perigosa, recorra a um adestrador profissional.

MARCELA BARBIERI BORO, zootecnista, graduanda em medicina veterinária, adestradora e franqueada da Cão Cidadão.