AnaMaria

Problema nos rins é coisa de criança!

Apesar de menos comuns, as doenças renais também atingem os pequenos. Artur Ricardo Wendhausen, nefrologista pediátrico da Fundação Pró-Rim, de Joinville (SC), nos ajuda a entender isso melhor

Ana Bardella Publicado em 03/03/2017, às 16h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Problema nos rins é coisa de criança! - Shutterstock
Problema nos rins é coisa de criança! - Shutterstock
Infecções urinárias
Principalmente aquelas que ocorrem bem cedinho, antes dos 2 anos, são as mais perigosas. Em geral, estão relacionadas a problemas de má formação. Um “defeitinho” (como não esvaziar completamente a bexiga depois de fazer xixi) pode ser o estopim
pra desenvolver uma infecção atrás da outra. Nessa idade, os sintomas mais comuns são febre, falta de apetite, além de alteração do
volume, cor ou cheiro da urina. Nos mais velhos, os sinais podem vir acompanhados de dores na região lombar, ardência pra fazer xixi e urinar na cama à noite. O maior risco é de que essas infecções ataquem não apenas a uretra e a bexiga, mas também os rins – que são mais complicados de tratar. É preciso identificar a causa pra impedir – com remédio ou cirurgia – que elas continuem
acontecendo.


Insuficiência renal
Os rins são os órgãos responsáveis por filtrar o sangue. A insuficiência acontece quando um ou ambos passam a “não dar conta do recado”. Pode surgir por diferentes motivos, como ter infecções frequentes; nascer com má formação (por exemplo, com um único rim); ou pelo aparecimento de cistos nos órgãos, que vão comprometendo a execução de suas funções. A última causa é uma doença cujo aparecimento depende da genética. Ou seja, se você ou seu marido têm alguém na família com rins policísticos, informe o pediatra do seu filho. Principalmente porque a insuficiência é silenciosa no começo: só nos estágios mais graves é que pode gerar
inchaço, pressão alta, diminuição da produção da urina e outros sinais. Antes disso, só pode ser diagnosticada por meio de exames.


Pedras nos rins
Crianças também correm o risco de desenvolverem as temidas pedras! Os sinais são dores na lateral do corpo, costas ou abdômen, sangue na urina e náusea. Para evitar, o melhor é oferecer sempre líquidos, aumentar a ingestão de frutas e evitar o consumo
exagerado de sal.