AnaMaria
Família/Filhos / Relações

Saiba como ensinar a resiliência e a resolução de problemas para as crianças

A habilidade é imprescindível para a resolução de problemas

Karla Precioso Publicado em 05/04/2020, às 14h30

A resiliência é uma atitude que pode ser desenvolvida ao longo da vida - Banco de Imagem/Pixabay
A resiliência é uma atitude que pode ser desenvolvida ao longo da vida - Banco de Imagem/Pixabay

Aprender a dar a volta por cima e superar as adversidades é importante para o desenvolvimento infantil. A essa habilidade dá-se o nome de resiliência, responsável por boa parte do crescimento emocional saudável das crianças

No entanto, ela não é uma aptidão nata do ser humano, nem mesmo uma carga genética passada de mãe para filho, mas os pequenos devem exercitá-la o mais cedo possível. Como ensinar essa competência a eles, então? 

Esse ensinamento deve ser repassado pela família em parceria com a escola, explica Marina Mazetti Stucchi Silva, coordenadora do Colégio Marista Ribeirão Preto (SP): “Devemos ensinar e estimular os pequenos para que eles tenham condições de superar experiências de trauma, dor, ansiedade e insegurança, sendo capazes de sair de qualquer situação mais fortes”, completa a especialista. 

Saiba como trabalhar a resiliência infantil.

O CONCEITO
“Os otimistas e os pessimistas morrem exatamente da mesma maneira, mas vivem vidas muito diferentes.” Esse pensamento de Shimon Peres, Nobel da Paz e ex-presidente de Israel, se relaciona com a elasticidade ou resiliência. 

Na física, o conceito corresponde à propriedade que alguns materiais têm de se modelar sem quebrar e, depois, voltar à forma original. No caso das pessoas, resiliência é a capacidade de enfrentar situações adversas que podem nos levar ao limite, superando-as com equilíbrio e saindo delas até mais fortes. 

A resiliência é uma atitude que pode ser desenvolvida ao longo da vida. Aprendemos na prática cada vez que passamos por desafios e fracassos e decidimos seguir em frente. As primeiras lições devem ser dadas na infância.

UMA CRIANÇA RESILIENTE SOFRE?
Sim! Ser resiliente não significa que ela não vá sentir angústia e emoções desagradáveis. Aliás, não só adultos passam por momentos traumáticos e difíceis de conviver e/ ou superar. 

As crianças também absorvem e sofrem com a realidade à sua volta e, por isso, também estão suscetíveis a vivenciar esses momentos de dificuldade, dor e sofrimento. 

Porém, como estão na primeira infância, elas estão em um processo de desenvolvimento de suas habilidades de linguagem e expressão, além de não conseguirem expressar de forma clara os seus sentimentos. 

Por isso é tão importante que se ensine e estimule a resiliência infantil. Ela pode e deve ser ensinada e estimulada para que os pequenos possam, por meio dessa habilidade emocional de transformação e superação, se recuperar dessa experiência de trauma, dor e até mesmo de situações de ansiedade e insegurança, sendo capazes de sair da situação mais fortes do que entraram.

MANEIRAS DE ENSINAR A RESILIÊNCIA

  • PASSO 1: construa um espaço em que a criança se sinta valorizada e reconhecida pelo seu esforço e dedicação. 
  • PASSO 2: aposte nos exemplos. Apresente histórias de personagens reais ou fictícios que superaram dificuldades em seu caminho. 
  • PASSO 3: não satisfaça todas as vontades. Mesmo que cuidem do bem-estar da criança, os pais precisam incentivá-la a resolver sozinha alguns desafios, para aumentar sua autoconfiança. 
  • PASSO 4: evite superproteger seu filho, como numa bolha. Proteja dos perigos, mas permita que a criança erre e comece de novo. 
  • PASSO 5: não dê respostas prontas. Em vez de explicar direto todos os “porquês”, instigue seu filho a pesquisar e demonstrar que ele é capaz de descobrir as próprias soluções. 
  • PASSO 6: estimule a perseverança. Aprender esportes ou um instrumento musical, por exemplo, mostra que só se evolui com prática, dedicação, disciplina e superação dos próprios limites. 
  • PASSO 7: anime as crianças a estabelecer metas, como uma nota mais alta na escola, um quarto mais arrumado, mais livros lidos por ano, fazer parte do time da escola, e assim por diante. 
  • PASSO 8: incentive a empatia e a positividade. Se colocar no lugar do outro e ver o lado bom das situações ajuda a enfrentar adversidades.