AnaMaria
Família/Filhos / Samara Felippo critica brinquedos infantis e levanta debate

Samara Felippo critica brinquedos infantis e levanta debate importantíssimo

A atriz usou as redes sociais para falar sobre o machismo na indústria de brinquedos e a criação de meninas nos dias de hoje

Redação AnaMaria Publicado em 28/03/2018, às 18h07 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Crescer rodeada por brinquedos relacionados a tarefas domésticas faz as meninas assimilarem que essa é a única opção que possuem - Reprodução/Instagram
Crescer rodeada por brinquedos relacionados a tarefas domésticas faz as meninas assimilarem que essa é a única opção que possuem - Reprodução/Instagram

Samara Felippo, de 39 anos, já se posicionou no Instagram sobre temas como racismo e feminicídio, e dá um show de representatividade na rede social com as fotos das filhas cacheadas e frases inspiradoras. Mãe de duas meninas, Alícia, de oito anos, e Lara, de quatro, a atriz desabafou recentemente sobre os modelos de brinquedos disponíveis para as crianãs. Para Samara, o mercado ignora o direito de escolha das meninas de ser o que quiser ao oferecer somente produtos sexistas: itens cor de rosa, com temática de tarefas domésticas são dominantes na seção de brinquedos denominada "para meninas".

Passadeira e ferro, uma minicozinha e uma vassourinha, todos em tons de rosa e lilás, estão entre os brinquedos postados no Instagram por Samara, que reflete como a indústria de produtos infantis ainda é muito antiquada. "Por apenas R$ 369,79 você cria uma excelente doninha de casa!!! Aquela princesinha prendada, que quando crescer já pode casar, e que o papai sempre sonhou!!!", comenta a atriz.

Em uma segunda publicação, Samara afirma que, ao crescerem rodeadas por brinquedos relacionados somente a tarefas domésticas, as meninas assimilam que essa é a única opção que possuem e são estimuladas a seguir somente este caminho. "Meninas NÃO precisam aprender a limpar um chão, varrer uma casa, fazer comida na infância. Elas farão isso adultas se quiserem. Meninas precisam de opções, de oportunidade de escolhas, de liberdade e respeito por elas mesmas. Precisam saber que podem governar um mundo se quiserem. Esses brinquedos parecem 'normais' pra vocês, mas deixam no nosso subconsciente uma educação de repressão e submissão", publicou.

Samara reforçou que sua crítica não é para desmerecer as donas de casa, muito pelo contrário. Feminista, a atriz acredita que a mulher possa ser o que ela quiser– um dos pilares da ideologia - desde que seja uma escolha sua. "Jamais julgaria a escolha de uma mulher, mas o fato é que seja dona de casa, engenheira ou astronauta, não deve ser a sociedade que decide isso e, sim, escolha dela", pontuou.

Xalingo Brinquedos e Calesita são alguns exemplos de fabricantes que abriram mão do rosa em suas pequenas cozinhas para atrair o público masculino. Assim como os posts feitos por Samara, a produção desses brinquedos tem dividido opiniões, já que, para muitos, continua associando a cor rosa como algo exclusivamente feminino. Refeltindo sobre essas construções sociais, Samara afirma: “precisamos quebrar padrões, desconstruir o que achamos que é o ‘certo’. Essa é a minha única esperança pra um futuro decente”.