AnaMaria
Famosos / Saúde

Atriz Claudia Rodrigues apresenta melhoras e deixa a semi-UTI

Empresária da artista forneceu detalhes sobre quadro clínico e descartou negligência médica

Da Redação Publicado em 19/07/2021, às 10h56 - Atualizado às 11h00

Aos 51 anos, Claudia ainda não tem previsão de alta - Instagram/@claudia_rodrigues_oficial
Aos 51 anos, Claudia ainda não tem previsão de alta - Instagram/@claudia_rodrigues_oficial

O estado de saúde de Claudia Rodriguespreocupou os fãs, na última sexta-feira (16), após a atriz interromper o tratamento contra esclerose múltipla para receber a vacina contra a Covid-19. A boa notícia é que, segundo Adriane Bonato, sua empresária e assessora, o quadro clínico da artista está apresentando melhoras e, com isso, ela recebeu alta da Unidade de Terapia Semi-Intensiva do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. 

Em um vídeo publicado no Instagram, nesta segunda-feira (19), Adriane detalhou o caso da artista e comemorou: “É com muita alegria que eu venho comunicar a vocês que a atriz e comediante Claudia Rodrigues teve alta da Unidade de Terapia Semi-Intensiva, na tarde de sábado, e foi para o quarto”. 

A empresária explicou que Claudia, diagnosticada com esclerose múltipla há 21 anos, iniciou um tratamento com um medicamento ministrado a cada seis meses e que, próximo a data de uma nova dose, os médicos preferiram interromper a medicação por alguns meses para que a atriz pudesse ser imunizada contra a Covid-19.  “Sem imunização do Covid, ela não poderia receber os profissionais que a atendem (...) Pesamos tudo, e seria melhor ter a imunização do Covid”, explicou. 

Foi então que, dois meses após a interrupção da medicação, o quadro clínico da artista piorou e ela deu entrada no hospital com dormência nos membros, cefaléia, febre e confusão mental. Desde então, Claudia segue internada sem previsão de alta. 

“Na sexta-feira (16), ela não fez a infusão do Ocrevus [remédio que trata a esclerose múltipla] para fazer uma infiltração no braço direito, que está muito inflamado por consequência de uma ruptura parcial no tendão (...) Ela precisava do medicamento contra esclerose para não ter um surto, mas por conta do intervalo da segunda dose, poderia ser fatal ou ter consequências irreversíveis", declarou. 

A decisão final da equipe médica foi de adiantar a segunda dose do imunizante, prevista para 17 de agosto, para que a atriz possa retomar o tratamento contra a esclerose múltipla o mais rápido possível. 

NEGLIGÊNCIA

Adriane também fez questão de esclarecer que, ao contrário do que diziam os boatos, a decisão em interromper o tratamento contra esclerose partiu de profissionais renomados no assunto e não houve negligência médica. 

"Quero deixar claro que cada caso é um caso. Além de ter esclerose múltipla há 21 anos, ela é transplantada, tem desautonomia e tem outros problemas de saúde. Não houve imprudência do médico dela, mas, sim, de quem está coordenando a questão das vacinas", afirmou, ressaltando que a atriz já deveria estar imunizada.