AnaMaria
Famosos / Imunizada

Beth Goulart, filha de Nicette Bruno, recebe nova dose da vacina e diz: ''Lembro de minha mãe''

Atriz Nicette Bruno é uma das mais de 610 mil vítimas da covid-19

Da Redação Publicado em 17/11/2021, às 07h54 - Atualizado às 07h55

Beth Goulart relembra a mãe Nicette Bruno - Instagram/@bethgoulartoficial
Beth Goulart relembra a mãe Nicette Bruno - Instagram/@bethgoulartoficial

Beth Goulart, filha de Nicette Bruno, celebrou ao receber a dose de reforço da vacina contra covid-19, na última terça-feira (16). A atriz usou o Instagram para agradecer aos profissionais de saúde e relembrar a mãe, que é uma das mais de 610 mil vítimas da doença no país.

"Dose de reforço. Gratidão a todos os profissionais da saúde, viva a ciência!", celebrou Beth na legenda da publicação. Em seguida, ela relembrou que Nicette Bruno foi contaminada com o coronavírus na mesma data.

"A cada dose da vacina lembro de minha mãe. Exatamente neste dia 16 de novembro, minha mãezinha pegou Covid", contou. Nicette contraiu o vírus em uma reunião família, após 10 meses isolada. A atriz foi internada cerca de 13 dias depois de ser infectada.

Nas semanas que precederam sua morte, a artista foi sedada, dependia da ventilação mecânica para respirar e realizou hemodiálise, tratamento que consiste na remoção do líquido e substâncias tóxicas do sangue. Apesar da medida ter tido algum efeito, seu estado continuou grave. Nicette não resistiu e morreu no dia 20 de dezembro, aos 87 anos, no Rio de Janeiro (RJ). 

TERCEIRA DOSE LIBERADA

O Ministério da Saúde anunciou, na manhã de terça-feira (16), que todos os brasileiros maiores de 18 anos poderão receber a dose de reforço da vacina contra a covid-19. Além disso, também foi divulgado a redução entre o intervalo entre as doses do imunizante. 

A partir de agora, quem completou o esquema vacinal há cinco meses já poderá recorrer a um posto de saúde para receber o reforço. O intervalo entre a dose única/segunda dose e a ‘dose adicional’ era de seis meses. 

A recomendação do Ministério da Saúde é que a pessoa receba um imunizante diferente do aplicado nas primeiras vezes. “É preferencial que a dose adicional seja com uma vacina diferente. No Brasil usamos a Pfizer, mas em um eventual desabastecimento pode ser usada outra plataforma”, disse o ministro Marcelo Queiroga

Com a mudança, o calendário de vacinação não será divulgado por faixa etária, porém cada pessoa deverá buscar a vacinação a partir da data de aplicação de sua última vacina.