AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Casagrande anuncia saída da Globo após 25 anos: “Alívio para os dois lados”

Depois de longa parceria, Walter Casagrande encerra contrato com a Globo

Da Redação Publicado em 06/07/2022, às 16h41

Walter Casagrande anuncia fim de contrato com a Globo - Reprodução/TV Globo
Walter Casagrande anuncia fim de contrato com a Globo - Reprodução/TV Globo

Após 25 anos de casa, Walter Casagrande Jr encerrou seu contrato com a Globo. Para dar essa notícia, o ex-jogador de futebol e comentarista esportivo utilizou suas redes sociais. Por meio de um vídeo, Casão falou sobre a decisão. No entanto, ele não deu nenhum detalhe sobre o que vai fazer da sua vida agora.

“Depois de 25 anos de Globo, seis Copas do Mundo, cinco finais, incluindo a de 2002, com os dois gols do Ronaldo, três Olimpíadas e diversas finais de campeonatos por aí, meu ciclo acabou. Estou saindo da Globo hoje, não faço mais parte do grupo de Esportes da TV. Vou seguir a minha estrada. Na realidade, acho que foi um alívio para os dois lados. Um beijo a todos”, disse durante o vídeo compartilhado.

Veja a publicação de Casagrande na íntegra:

CRÍTICO AO GOVERNO BOLSONARO

Walter Casagrande falou no ‘Encontro’, televisionado nesta segunda-feira (13), sobre como o atual governo afeta o país e a Justiça falha em punir crimes como os cometidos contra Marielle Franco.

O ex-jogador descreveu o governo de Jair Bolsonaro como covarde, mentiroso e cruel, e disse que “o Brasil não é perverso, não é psicopata. O Brasil está perverso e psicopata”.

Sem mencionar ninguém, ele afirmou ainda que muitas atitudes acabam sendo um reflexo daquilo que a população vê das autoridades: “As pessoas não estão mais com medo de serem cruéis, de atacar, de serem racistas ou homofóbicas. Está tudo assinado, com aval. As pessoas se soltaram mesmo e isso machuca a gente”.

Casão também alfinetou a Justiça, falando sobre a falta de esclarecimentos do que houve com Marielle Franco e Anderson Silva, trazendo o problema da impunidade para o presente. “Agora a gente quer saber quem matou o Dom Phillips e o Bruno Pereira. Isso não pode ficar como o crime cometido contra a Marielle”, disse.