AnaMaria
Famosos / Saúde mental

Cauã Reymond revela depressão e sequelas de cirurgia no quadril: ''Cicatriz na minha potência''

Ator relembrou momentos difíceis que viveu durante as gravações de 'Passione', em 2010

Da redação Publicado em 16/12/2021, às 10h29 - Atualizado às 10h29

Cauã Reymond relembra depressão e sequela de cirurgia no quadril - Instagram/@cauareymond
Cauã Reymond relembra depressão e sequela de cirurgia no quadril - Instagram/@cauareymond

Cauã Reymond está vivendo o auge de sua carreira. No ar como os gêmeos Renato e Christian em 'Um Lugar ao Sol', da TV Globo, o ator revelou que a maturidade tem lhe proporcionado algumas lições. Um delas é o cuidado com o corpo e com a saúde mental. 

Em entrevista à revista 'GQ' de Portugal, o galã afirmou que sempre foi saudável, mas somente nos últimos anos compreendeu que era necessário cuidar também do lado emocional. "Não adianta fazer todas as técnicas, todos os treinos, se você também não encontrar uma saúde emocional", disse. 

Cauã deu mais atenção para ao estado mental depois de enfrentar uma depressão decorrente de uma cirurgia no quadril. Ele contou que tudo aconteceu na preparação para a novela 'Passione', em 2010, quando passou a pedalar com muita frequência para interpretar um ciclista.

"Acabei operando meu quadril. Descobri que tinha uma má formação do fêmur. Tive que andar de muletas. Foi um momento difícil em todos os aspectos. A região do quadril é uma região difícil para namorar. Eu tive uma depressão por conta da endorfina. Eu estava acostumado a ter um shot de endorfina diário e parei de ter. Depois eu me recuperei, mas eu tive uma grande cicatriz. Não só física. Uma cicatriz na minha potência como homem", explicou o ator.

PASSADO
Cauã perdeu a mãe, a astróloga Denise Reymond, em 2019, além de uma tia que considerava querida. Ele confessou que ambas as perdas o fizeram ter uma relação mais próxima com sua espiritualidade. 

"Isso tem a ver com a forma que eu venho vivendo, conquistando coisas e me relacionando com as perdas. Sou um cara que oro. Nunca pedia proteção para os outros. Era só eu, eu, eu, eu. Agora tem espaço para outras pessoas", disse.