AnaMaria
Famosos / Tristeza

Cesar Tralli lamenta situação crítica na Ucrânia: ''Tanta dor e incerteza''

Jornalista falou sobre o ataque russo à Ucrânia no 'Jornal Hoje' e nas redes sociais

Da Redação Publicado em 24/02/2022, às 17h50

Cesar Tralli desabafa sobre ataque russo à Ucrânia - Instagram/@cesartralli
Cesar Tralli desabafa sobre ataque russo à Ucrânia - Instagram/@cesartralli

O jornalista Cesar Tralli usou suas redes sociais, nesta quinta-feira (24), para fazer um desabafo sobre a situação crítica da Ucrânia, após o país sofrer uma onda de ataques russos.

O apresentador do 'Jornal Hoje', que abordou o conflito durante o noticiário, lamentou a disputa política entre Ucrânia e Rússia, se solidarizando com todos os que foram obrigados a abandonar suas residências.

''Dia Dificílimo. Dia muito triste com essa guerra que acaba de estourar na Ucrânia. Quase dois anos depois da pandemia, de tanta dor, incertezas, inseguranças, aflições…'', começou.

''Agora vem essa invasão russa. A mais grave crise militar na Europa desde a Segunda Guerra Mundial. Serei um eterno defensor da paz. Meus sentimentos ao povo da Ucrânia'', completou.

Confira:



SITUAÇÃO NA UCRÂNIA

A Ucrânia acordou sob forte ataque russo na manhã desta quinta-feira (24). Aflita, a população tenta fugir do país em um êxodo sem precedentes em meio a invasão de tanques, helicópteros e aviões pilotados por militares da Rússia.

A população ucraniana foi despertada com sirenes que alertavam sobre uma invasão ao país do leste europeu. Antes mesmo que as pessoas pudessem se organizar para uma possível fuga, porém, os ataques começaram em diversas partes do país.

De acordo com a imprensa internacional, barulho de explosões podiam ser ouvidos a quilômetros de distância. A população ucraniana também formou uma fila gigantesca de carros em estradas mais afastadas de onde acontecia o conflito para deixar o país invadido, enquanto outra parcela dos cidadãos procuravam abrigos subterrâneos para se protegerem.

As primeiras explosões já iniciaram logo na madrugada, enquanto o presidente da Rússia, Vladimir Putin, fazia uma declaração pública, relatando que havia autorizado uma operação militar contra a Ucrânia.

Putin também ameaçou qualquer ajuda ou interferência de outros países ao conflito, o que pode ser um recado claro aos Estados Unidos e aos países da Europa que são contrários aos ataques. “Quem quer que tente interferir, e ainda mais para criar ameaças ao nosso país, ao nosso povo, deve saber que a resposta da Rússia será imediata e o levará a consequências como você nunca experimentou em sua história. Estamos prontos para qualquer desenvolvimento de eventos. Espero ser ouvido”, disse o chefe de estado russo.