AnaMaria
Famosos / Política

Craque Neto defende P. Júlio Lancellotti e dispara críticas ao governo: ‘‘Que país que eu estou?’’

Apresentador se direcionou à deputada Janaína Paschoal e ao ministro Milton Ribeiro

Da Redação Publicado em 12/08/2021, às 08h40 - Atualizado às 08h40

Apresentador do 'Donos da Bola' é conhecido pelas opiniões sinceras - Band
Apresentador do 'Donos da Bola' é conhecido pelas opiniões sinceras - Band

O craque Neto aproveitou o espaço no programa ‘Os Donos da Bola’, na última quarta-feira (11), para se posicionar contra os ataques feitos por Janaína Paschoal ao padre Júlio Lancellotti. O motivo da revolta da deputada estadual foi a distribuição de marmitas aos desabrigados na cracolândia. Além disso, o apresentador também detonou o Ministro da Educação, Milton Ribeiro, e o desfile de tanques em homenagem a Jair Bolsonaro

"O governo tem obrigação, o Estado tem obrigação mas a gente não cobra, aí vem a Janaína e diz que o padre não pode dar comida para as pessoas que são viciadas. Quem disse que o viciado é pior do quem não é? Você sabe se o cara teve problema familiar, se é engenheiro, bombeiro, se a mulher largou, se os filhos não querem. Quem disse para você?", disparou contra a deputada

Em seguida, Neto parabenizou o religioso por suas ações solidárias. "Padre Julio, parabéns por ser maravilhoso", disse. 

As críticas continuaram, dessa vez direcionadas ao Ministro da Educação: "Se a gente tem um ministro da Educação que acha que a universidade tem que ser para poucas pessoas, que país que eu estou?".

Por fim, o ex-jogador do Corinthians fez menção ao desfile de tanques protagonizado pelo governo federal, realizado na última terça-feira (10), em Brasília. "Um tanque de guerra sai uma fumaça pior que meu fusca, se tiver uma guerra nós morremos (...) Tenho três [fuscas], vou emprestar pra eles lá nos três poderes andarem de fusca, fica mais bonito”, debochou.

O apresentador, conhecido por não ter papas na língua, ainda reforçou a importância de que figuras públicas se posicionem politicamente. "Tem uma coisa que eu aprendi, se a gente não se posicionar, a gente não merece estar aqui".