AnaMaria
Famosos / Entrevista

Da telinha para o ramo da beleza: Vanessa Machado fala sobre negócios e desejo de voltar a atuar

A atriz fez sucesso como a personagem Simone de 'Laços de Família'

Karla Precioso Publicado em 04/09/2021, às 08h00

Vanessa Machado lançou sua própria linha de cosméticos - Instagram/ @vanessamachadoa
Vanessa Machado lançou sua própria linha de cosméticos - Instagram/ @vanessamachadoa

Ela esteve recentemente no ar na reprise de 'Laços de Família', mas seus últimos trabalhos na telinha foram na série 'Casos e Acasos', em 2008, e nas tramas 'Cobras & Lagartos', em 2006, na Globo, e 'Bicho do Mato', em 2007, na RecordTV. 

Isso não significa que Vanessa Machado não queira voltar a gravar novelas: “Acredito que amadureci muito nesse tempo e me sinto pronta para voltar com todo o gás”, declarou a artista que, agora, vem se dedicando ao ramo da beleza. Ela tem uma linha de óleos essenciais para o corpo e acaba de lançar uma espuma de limpeza para a pele em parceria com uma empresa de cosméticos. 

Não para por aí: em seu canal na internet, dá dicas para mulheres acima dos 35 sobre cuidados com a cútis e os cabelos: “Sempre tive curiosidade sobre maneiras naturais de cuidar da pele. Estudei e falei bastante sobre o assunto nas redes sociais, mostrando que não é preciso gastar fortunas em cremes para ficar bonita. Acabei recebendo o convite para criar o óleo”, fala orgulhosa. 

A goiana justifica o negócio: “Sentia falta disso. Mulheres maduras são geralmente esquecidas (sim, isso vem mudando), por isso a ideia é mostrar que podemos ser incríveis em qualquer idade e que autocuidado não é futilidade”. 

Falando em autoaceitação, ela voltou a fazer as pazes com os cachos após passar por um período de transição capilar. “Foi bem difícil o processo, mas libertador.” 

Aos 46 anos e bem resolvida com a decisão de não ter filhos, a idade, nem de longe, é um problema para ela: “A principal mudança que sinto é uma aceitação melhor sobre a passagem do tempo e as mudanças do meu corpo. Antes, eu era fissurada em fazer botox, por exemplo. Agora, desencanei completamente. O importante é como eu me sinto, e me sinto cada dia mais garota! Outra certeza que o amadurecimento me trouxe foi a de que me tornei uma pessoa melhor. Não tenho mais aquela insegurança. Hoje sei o que quero, corro atrás das coisas de uma maneira leve e prática”, termina.

Aplausos à artista, empresária e mulher!

Vinte anos depois de Laços de Família, você diria que está melhor hoje?
Acredito que sim. Hoje sou uma mulher madura, segura do que quer e um pouco mais sábia também. A maturidade tem seu ônus e seu bônus, mas estou muito feliz por dentro e por fora. A maturidade deixa a gente mais tranquila, nos cobramos menos, ficamos também menos ansiosas... A trama das prostitutas da zona sul carioca na novela Laços de Família foi inspirada numa reportagem da época sobre o número de garotas de programa nas faculdades do Rio de Janeiro e São Paulo. 

Você declarou que, à época, ficou surpresa com a boa recepção do público, mas chegou a abandonar alguns hábitos com medo de ser confundida com a personagem. É verdade?
Venho de uma época na televisão em que algumas vilãs apanhavam na rua. Eu, por ser muito nova, sem ter a mínima noção do que vinha pela frente, fiquei com medo dessa associação. Mudei hábitos como a minha postura perante as pessoas. Sou de fazer amizade muito fácil e também sou muito brincalhona e simpática, seja com homem  ou mulher. Fiquei mais fechada, mais na minha, e só me soltava depois que já tivesse uma certa amizade. Mudei também meu estilo de vestir, evitando roupas curtas, decotadas ou transparentes.

Longe da TV, você encontrou-se no ramo da beleza. O que a levou a mudar radicalmente de profissão?
O universo da beleza sempre me cativou. Sonhava em ter minha linha de maquiagem. Na época, não pensava em cuidados com a pele, talvez por ser muito nova [risos]. Com o tempo, vendo as mudanças no meu corpo, percebi que precisava tomar uma atitude para envelhecer melhor. Sempre gostei e acreditei no poder de produtos que vinham da natureza. Então, comecei a pesquisar, estudar e falar sobre o assunto nas redes sociais. Até que a Dermociência me ofereceu para testar seus produtos. Quando
vi que a marca preenchia os requisitos que exijo na hora de escolher uma parceria séria, principalmente por ter essa pegada natural, aceitei de cara. Deu tão certo que logo veio o convite para o lançamento de minha própria linha de cosmético. É uma história linda da qual me orgulho muito! Costumo dizer que eu e a Andrieli Richter [CEO da marca] somos um encontro de almas.

Você prioriza produtos não testados em animais e que primam pelo cuidado com o meio ambiente. De onde veio essa conscientização?
A marca já tinha essa filosofia. Então, entrei com tudo pronto. A fabricação de cosméticos sem crueldade animal deveria virar regra/lei na indústria.

Como surgiu a ideia de falar/mostrar a beleza na maturidade com conteúdos no YouTube e Instagram?
Estava fora da televisão há algum tempo, cheia de conteúdo para compartilhar e vi pouca gente falando para esse nicho. Achei que seria uma boa ideia atender a essa demanda com um pouco do meu conhecimento e, quem sabe, até ganhar dinheiro com isso [risos]. Envelhecer é uma bênção e uma coisa linda, e as mulheres querem que isso aconteça da melhor forma possível. Eu estou aqui para ajudar! Acredito
mesmo estar cumprindo essa missão. 

Aliás, o YouTube tornou-se sua principal ferramenta de comunicação com seu público, né?
Sim, YouTube certamente, mas o Instagram também ganhou muita relevância nos últimos tempos. Estou me dividindo para dar conta de alimentar ambas as redes com a mesma atenção e periodicidade. Tenho Twitter e Facebook, mas confesso que não uso com tanta frequência. Acho que esses meios viram palanques políticos, e tenho uma certa preguiça disso...

Você alimenta sozinha seu canal e rede social?
Faço tudo absolutamente sozinha. E, confesso, fico um pouco  atrapalhada... Foto, vídeo, edição, foto do vídeo, post, foto do
post... E cada dia nasce uma rede social ou algum recurso diferente que preciso alimentar. É muito trabalho mesmo! Até hoje apanho para postar no tal do Reels do Instagram [risos novamente]. E, quando eu estou pegando o jeito, pá! Lá vem novidade. Sou vintage, é muita tecnologia pra titia aqui [gargalhada]. Acho que, por isso, prefiro mais os Stories
porque não precisam dessa produção toda, e é de lá que vem minha maior audiência.

Você é escrava da beleza? Como se cuida no dia a dia?
Não me considero escrava de nada. Cuidar da pele, do cabelo, da alimentação e do corpo é garantir qualidade de vida no futuro. E, no mais, autoestima e amor-próprio nos deixam mais fortes e poderosas. A fórmula é simples e prática assim.

Alguma dica de beleza para as mulheres acima dos 40 anos?
Meu blend de óleos Eight, claro [risos]. Protetor solar todo santo dia, pois ele é o melhor antirrugas que existe. Evitar muita exposição ao sol e fazer musculação – é essa atividade que vai nos dar independência na velhice.

Assim como muitas mulheres cacheadas, você passou anos alisando os fios e depois optou por um processo de transição capilar para assumir os cachos. O que a fez querer resgatar a beleza de seus cabelos naturais?
Comecei a observar que os cabelos lisos estavam me deixando com a aparência mais velha. Um volume ao redor do rosto dá um ar mais jovial, pelo menos esse é meu ponto de vista. Depois, estava perdendo muito cabelo com a escova progressiva. Hoje, estou muito feliz e satisfeita com meus cachos. Falo muito sobre isso nas redes sociais, na tentativa de ajudar outras mulheres a passarem por essa transição, que é bem difícil.

Sente-se mais realizada no ramo da beleza do que atuando na TV?
Meus produtos estão mudando, não só a pele, mas a vida e autoestima das pessoas. E, sinceramente, não tem nada mais gratificante do que isso. Mas sou e serei sempre atriz, e amo atuar também. Sei que o artista também consegue tocar a vida das pessoas e de uma maneira não menos importante. Contar histórias, arrancar sorrisos, lágrimas e emoção de um indivíduo é uma bênção. Não há como negar isso. Sinto-me realizada e abençoada em ambos os caminhos.

Cogita voltar à telinha, então?
Voltar a atuar nunca esteve fora de cogitação, seja na telinha, telona, no teatro ou até fazendo graça para os amigos. Meu tempo hoje é mais apertado do que há alguns anos, mas com a proposta certa e na hora exata quero muito estar numa personagem entretendo a todos.

Os artistas têm sido cobrados para se posicionarem diante da pandemia e do negacionismo. Que leitura você faz dessa cobrança?
Vivemos numa democracia em que a livre escolha é garantida por lei. Escolher posicionar-se é um direito individual. Sou contra cancelamentos e a favor da liberdade, das escolhas de cada um. Isso vale para tudo, não só política.

Não ter filhos foi uma escolha?
Uma escolha minha. Cada um sabe de si.