AnaMaria
Famosos / Eita!

Datena se irrita após apoiadores de Bolsonaro criticarem a Band de ‘lixo’

Apresentador se estressou com a opinião dos manifestantes

Da Redação Publicado em 08/09/2021, às 11h51 - Atualizado às 11h52

Datena - Instagram/@datenareal
Datena - Instagram/@datenareal

Datena se revoltou na última terça-feira (7), durante o programa ‘Brasil Urgente’. O motivo do estresse foram os apoiadores de Bolsonaro, que chamaram a Band de “lixo” durante as manifestações pró-governo na Avenida Paulista, em São Paulo (SP), que ocorreram ontem (7). 

Na ocasião, o repórter César Cavalcante estava no local fazendo a cobertura do ato, e foi hostilizado pelos manifestantes, que fizeram o mesmo com profissionais de outras emissoras. 

"Pode tirar a imagem! Democracia é democracia, agora ninguém aqui vai aceitar desrespeito ao repórter que tá lá. Nem à imprensa. Ninguém aqui é obrigado a aceitar isso", disse Datena. 

Segundo o apresentador, o Presidente da República não “quer confronto” e não aprova esse tipo de comportamento de seus apoiadores. "A gente não quer confronto, mas a gente não vai permitir que xinguem a imprensa de 'lixo'. Eu tenho muito orgulho da imprensa da qual participo. E não vou permitir isso aqui", ressaltou. 

Datena também aproveitou para reclamar da produção do programa, pois ele tinha pedido que não levassem a equipe de jornalistas para cobrir o ato, preocupado com  alguém “levar um pau”.

"Pedi para não colocar repórter lá, desde ontem (6), e eu sugiro que retirem os repórteres daí [do ato] imediatamente. Para ficar sendo chamado de 'lixo' ou expor o repórter, que pode ser espancado daqui a pouco, é melhor tirar daí. Esse é o clima de ódio gerado pelas eleições que temos que enfrentar", finalizou, dizendo que “essas pessoas não representam o Brasil”.

CLIMA HOSTIL
O correspondente da CNN em espanhol, Marcos Moreno, também foi hostilizado por apoiadores de Jair Bolsonaro durante as manifestações da última terça-feira (7), enquanto acompanhava o ato.

No vídeo, o jornalista exibe os manifestantes o chamando de “lixo” e gritando a palavra “acabou”. Moreno precisou ser escoltado por quatro policiais para deixar o ato de forma segura. 

“Estamos bem. Só tristes pelos ataques à imprensa e à democracia no Brasil", lamentou o repórter em seu perfil no Twitter.