AnaMaria
Busca
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaYoutube AnaMariaTiktok AnaMariaSpotify AnaMaria
Famosos / CONFIRA

Edson Celulari recorda batalha contra doença séria: ‘Tive medo’

Ator Edson Celulari revela experiência pessoal com linfoma não-Hodgkin e sua percepção sobre a vida e a morte

Edson Celulari revela experiência pessoal - Reprodução
Edson Celulari revela experiência pessoal - Reprodução

Atualmente em cartaz nos cinemas com o filme "Nosso Lar 2 – Os Mensageiros" e também presente na novela "Fuzuê" da Globo, Edson Celulari abriu o coração em uma entrevista ao site Heloísa Tolipan, relembrando o momento em que foi diagnosticado com um linfoma não-Hodgkin, um tipo de câncer que afeta o sistema linfático, por volta de 2016.

O renomado ator compartilhou como lidou com a doença e como passou a enxergar o conceito da morte a partir dessa experiência. "Lidamos mal com a morte aqui no Ocidente. Olha, é o seguinte, quero viver muito, até os 150 anos (risos). Então, até lá acho que o meu velho motor vai ter maturidade para entender a finitude. Se fosse morrer hoje acho que seria cedo", expressou Celulari.

Apesar do medo inicial ao receber o diagnóstico, Edson Celulari destacou que não encara a morte com temor. "Ainda tenho muita energia, desejos, sonhos, curiosidades e inquietação em relação à vida por aqui. Mas não penso na morte com medo. Tive medo quando recebi o diagnóstico de câncer", compartilhou o artista, que encontrou forças renovadas após seguir o tratamento para recuperação do tumor.

"Depois que comecei o tratamento, o medo foi se diluindo. Se eu recebesse um outro diagnóstico desses hoje, lidaria de outra forma, a gente vai aprendendo a lidar com a impermanência, com os sustos", acrescentou Celulari.

ENTENDENDO O LINFOMA NÃO-HODGKIN

O linfoma não Hodgkin (LNH) é um tipo de câncer que tem origem nas células do sistema linfático e se espalha de maneira desordenada. Existem mais de 20 tipos diferentes de linfoma não-Hodgkin, afetando pessoas de todas as idades, sendo mais comum em adultos, especialmente aqueles com mais de 60 anos.

Apesar de os casos terem duplicado nos últimos 25 anos, as razões para esse aumento ainda são desconhecidas. Homens têm uma predisposição ligeiramente maior que mulheres e o linfoma não-Hodgkin é o tipo mais incidente na infância.

O sistema linfático, parte do sistema imunológico, é responsável por ajudar o corpo a combater doenças, e o linfoma pode começar em qualquer lugar onde o tecido linfático é encontrado.