AnaMaria
Famosos / Polêmica

Ex-Humorista do Casseta e Planeta defende vítimas de assédio por Marcius Melhem

Claudio Manoel critica posicionamento da Globo em relação ao caso do ex-diretor

Da Redação Publicado em 10/12/2020, às 14h00 - Atualizado em 16/12/2020, às 11h32

Carlos Manoel criticou a postura da Globo em relação às denuncias de assédio contra Melhem - Youtube / Rádio Kiss FM Oficial
Carlos Manoel criticou a postura da Globo em relação às denuncias de assédio contra Melhem - Youtube / Rádio Kiss FM Oficial

Claudio Manoel, integrante do antigo 'Casseta e Planeta', se posicionou em relação ao caso Marcius Melhem e criticou a postura da TV Globo. Em entrevista para a Kiss FM, na última quarta-feira (9), o humorista afirmou que a emissora está defendendo o ex-diretor ao se isentar sobre as acusações de assédio sexual e moral.

Claudio se colocou do lado das vítimas, DaniCalabresa e mais 11 funcionários, e ressaltou a importância deste posicionamento. Segundo ele, ficar do lado do acusado só aumenta as desconfianças. "Tudo fica mais difícil quando o acusado possui tamanha proteção e tem cara de fofo, né?", disparou.

Ele ainda ressaltou que a quantidade de relatos é muito grande. "Fica muito difícil de você não crer que tudo isso é verdade. Apesar de não estar presente no local, é sempre preciso se colocar no papel da vítima. Muita gente pode não acreditar. Mas ninguém tem escrito na testa: 'sou abusador'", completou, em entrevista ao programa 'Rock a 3'.

O ator tentou se colocar no lugar de vítima e refletiu sobre como deve ser ter sua palavra desacreditada. "Você vê muitos casos lá fora, vê muitos seriados falando sobre o assédio. E aí você fica pensando naquilo, o que aquela pessoa passou de constrangimento, de amargura nos dias posteriores, e perguntando o que fazer ou o que vão pensar dela. Tomar coragem para falar e não acontecer nada! É complicado", refletiu.

Ele ainda se incluiu como alvo de Marcius Melhem, afirmando que, por muitas vezes, também se sentiu atingido por falas do ex-diretor que acusavam a geração anterior de humoristas. "Frases do tipo 'não haverá mais piadas machistas, piadas sexistas'. Parecia que nós acordávamos todos os dias para fazer isso! Ser profeta do passado é mamão, eu quero ver adivinhar o futuro", desabafou Manoel

ENTENDA
A revista Piauí soltou uma reportagem no início de dezembro revelando detalhes da investigação interna envolvendo as acusações de assédio contra Marcius Melhem, baseados nos relatos de 43 pessoas diretamente envolvidas no caso.

Segundo a publicação, ele teria tido comportamentos abusivos, tanto no âmbito moral quanto no sexual, contra algumas atrizes do núcleo humorístico da Globo, que na época era chefiado por ele.

O caso que mais chama a atenção envolve Dani Calabresa. De acordo com relatos, que foram levados para a direção da emissora, Marcius teria agarrado a atriz e mostrado sua genitália no banheiro de um bar em Botafogo, no Rio de Janeiro, no dia 5 de novembro de 2017, quando a equipe comemorava o centésimo episódio do programa ‘Zorra’. 

Após o ocorrido, aconteceram ainda outros episódios que chegaram a ser avaliados pelo setor de compliance da emissora. Marcius Melhem, vale lembrar, foi oficialmente desligado de suas funções na Rede Globo em agosto passado. 

O humorista, que trabalhava na emissora há 17 anos, estava de licença desde março oficialmente para acompanhar o tratamento de saúde da filha no exterior.

"NÃO TOLERA ABUSOS"
Por conta da reportagem da Revista Piauí, a TV Globo emitiu um comunicado oficial a respeito das denúncias de assédio sexual contra Marcius Melhem, que além de atuar em produções, também era diretor da área de comédia do canal. Na nota, que foi publicada pelo portal UOL, a emissora afirma que é contrária à qualquer tipo de assédio.

"A Globo não comenta questões de compliance, mas reafirma que todo relato de assédio, moral ou sexual, é apurado criteriosamente assim que a empresa toma conhecimento. A Globo não tolera comportamentos abusivos em suas equipes e incentiva que qualquer abuso seja denunciado. Neste sentido, mantém um canal aberto para denúncias de violação às regras do Código de Ética do Grupo Globo. Por esse Código, assumimos o compromisso de sigilo do processo, assim como o de investigar, não fazer comentários sobre as apurações e tomar as medidas cabíveis, que podem ir de uma advertência até o desligamento do colaborador [...]", afirmaram. 

O comunicado declarou ainda que a Rede Globo irá investigar o caso e as denúncias realizadas serão apuradas. 

"Somos muito criteriosos para que os estilos de gestão estejam adequados aos comportamentos e posturas que a Globo quer incentivar e para que as medidas adotadas estejam de acordo com o que foi apurado. Não foi diferente nesse caso. O acolhimento e a empatia com quem relata situações de violação do Código de Ética são pontos essenciais do programa de compliance da empresa. [...] As práticas e as avaliações são revistas o tempo inteiro, assim como são propostas e acolhidas sugestões de melhoria nos mecanismos de comunicação interna. A própria sociedade está se transformando e a empresa acompanha esse processo", asseguraram.