AnaMaria
Famosos / Despedida

Françoise Forton será cremada no RJ; marido exige comprovante de vacinação

Eduardo de Souza Barata, marido de Françoise Forton, se pronunciou nas redes sociais

Da Redação Publicado em 17/01/2022, às 09h03

Atriz faleceu devido um câncer no último domingo (16) - Instagram/@edusbarata
Atriz faleceu devido um câncer no último domingo (16) - Instagram/@edusbarata

O velório da atriz Françoise Forton, vítima de câncer aos 64 anos, será realizado nesta segunda-feira (17) no Rio de Janeiro. O viúvo da artista, Eduardo de Souza Barata, comunicou os horários através das redes sociais e fez exigências quanto ao combate da pandemia da covid-19.

Primeiro, ocorrerá o velório de Françoise, das 10 horas às 14 horas, no Teatro Tablado. E, na sequência, o grupo se encaminhará para o Crematório e Cemitério da Penitência para a cremação do corpo da atriz das 15 horas às 16 horas e 15 minutos.

“Use máscara, leve seu álcool gel e seu comprovante de vacinação”, relembrou Barata em menção ao documento que comprova o recebimento das doses do imunizante contra o coronavírus.

Nos comentários da publicação, muitos amigos e fãs prestaram solidariedade ao produtor. “Querido, um beijo imenso”, disse Tatá Werneck. “Chocada! Força para vocês, Baratinha, meus sentimentos. Que mulher, que atriz, uma inspiração!”, escreveu Carla Diaz. “Te abraço forte! Meus sentimentos. Mais uma estrela se acende no céu”, completou Bárbara Paz.

LUTO

A atriz Françoise Forton morreu na tarde do último domingo (16), no Rio de Janeiro, aos 64 anos. Segundo informações divulgadas pelo colunista Ancelmo Góis, do jornal 'O Globo', a artista estava internada na Clínica São Vicente há cerca de quatro meses e lutava contra um câncer.

O último trabalho de Fraçoise nas telinhas foi na novela 'Amor sem Igual' (2019), da Record TV, finalizada em 2021, durante em a pandemia do novo coronavírus. Na trama, ela interpretou Olympia.

Na Globo, a atriz participou de diversos folhetins, como em 'A Última Valsa', que foi sua estreia oficial na TV, em 1969. Depois, vieram sucessos como 'Estúpido Cupido' (1976), 'Bebê a Bordo' (1988), 'Tieta' (1989), 'Meu bem, Meu Mal' (1990), 'Perigosas Peruas' (1992), "O Clone" (2001), 'I Love Paraisópolis' (2015) e 'Tempo de Amar' (2018).